3,6 bilhões de ienes é cobrado ao Japão por vazamento de óleo no Oceano Índico

A República da Maurícia pediu ao Japão 3,6 bilhões de ienes, devido a um vazamento de óleo por um navio japonês no Oceano Índico.

Um graneleiro propriedade da Nagashiki Shipping Co., transportava cerca de 3,800 toneladas de óleo combustível quando ocorreu um problema e parou de funcionar em 25 de julho. Aproximadamente 1.000 toneladas de óleo vazaram do navio.

Sob o esquema proposto, o valor cobrado ao Japão será usado na construção de 100 barcos pesqueiros, exigindo 1,2 bilhão de rúpias, e será necessário 9,7 milhões de rúpias para fornecer treinamento para 475 pescadores e 60 capitães. Está sendo solicitado também 134 milhões para renovar o Albion Fisheries Research Center, uma antiga instalação construída na década de 1980 com a ajuda do Japão. Atualmente a pesca está proibida no local devido ao acontecimento.

A República da Maurícia declarou estado de emergência ambiental em 7 de agosto, citando preocupação com os animas em extinção, como pássaros indígenas e tartarugas marinhas.

“É verdade que estamos recebendo vários pedidos. O Japão está trabalhando para fazer prontamente tudo o que puder”, disse um funcionário da Embaixada do Japão na Ilha Maurícia.

O Japão disse que enviará uma terceira equipe de socorro à ilha, na quarta-feira, para ajudar no processo. A equipe de seis membros ajudará a conduzir investigações detalhadas de manguezais, recifes de coral, vida selvagem e qualidade da água do mar para avaliar o impacto do vazamento de óleo, disse o Ministério do Meio Ambiente.


 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.