A emocionante história de Sadako Sasaki, uma das vítimas da bomba atômica, será transformada em filme

Sadako Sasaki foi uma das vítimas dos bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki, e se tornou o principal símbolo do impacto da bomba nuclear.

Sadako tinha apenas 2 anos de idade quando foi exposta à radiação da bomba, em agosto de 1945. Ela estava a um raio de 1,6 km do marco zero e não sofreu ferimentos graves.

Crédito: Wikipédia

Embora ela tenha sobrevivido por mais 10 anos, acabou falecendo aos 12 anos de idade com leucemia linfática maligna aguda, também chamada de “doença da bomba atômica”.

Guindastes de origami

Crédito: Istock photo

Sadako se tornou uma das hibakushas (pessoa afetada pela bomba) mais conhecidas da história, sendo lembrada até hoje pela lenda dos tsurus (uma ave sagrada no Japão). Antes de morrer, Sasaki teria dobrado centenas de guindastes de origami.

Segundo a lenda japonesa, quem fizesse 1.000 tsurus em dobraduras de papel teria seu pedido atendido. Sadako teria feito cerca de 644 tsurus, e depois de sua morte, sua família e seus amigos acabaram de completar os 1.000 para “enterrá-los” junto com ela.

Após a morte de Sasaki, seus amigos e colegas da escola se mobilizaram para arrecadar fundos e construir um memorial para ela em homenagem a todas as crianças que também foram vítimas inocentes da bomba atômica.

No ano de 1958, uma estátua de Sasaki segurando um guindaste dourado foi inaugurada no Parque Memorial da Paz de Hiroshima.

Crédito: Istock photo

Embaixo da estátua há uma placa com a seguinte frase: “Este é o nosso grito. Esta é a nossa oração. Paz no mundo”.

O filme que está provisoriamente intitulado como “Orizuru no Kiseki” (O milagre dos Guindastes de Papel), marcará o 80° aniversário do início da Guerra do Pacífico entre o Japão e os Estados Unidos (7 de dezembro de 1941) com o ataque supresa dos japoneses a Pearl Harbor.

A arte imitando a vida

O filme mostrará a vida de Sadako, bem como a vida de seu irmão (79 anos) e de outras crianças que foram vítimas do bombardeio. Além disso, também evidenciará um lado da história que pouca gente conhece, como a dura experiência que os pais de Sadako viveram.

Eles foram forçados a se mudar para a província de Fukuoka após a morte da filha, uma vez que muitas pessoas estavam acusando-os de ganhar dinheiro em cima da repercussão da história da filha.

O sobrinho de Sadako, Yuji Sasaki, responsável pela direção do filme, disse que ele e sua equipe pretendem filmar uma cerimônia em homenagem às vítimas do ataque a Pearl Harbor em Honolulu (Havaí).

“Ao mostrar a dor da família por trás da história de Sadako também, quero torná-lo o tipo de filme que ajude o público a considerar que mentalidade construiria a paz- comentou Yuji Sasaki (sobrinho de Sadako).

O filme está sendo produzido desde setembro do ano passado e deverá estrear no verão de 2022!

Leia também:

#novidades


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.