A falta de credibilidade na história das vacinas no Japão cria obstáculos na luta contra o vírus

O Japão tem uma das taxas mais baixas de confiança em vacinas do mundo. Segundo um estudo realizado pelo Lancet, menos de 30% das pessoas concordam que as vacinas são seguras, importantes e eficazes.

De acordo com uma recente pesquisa da emissora NHK, pelo menos 36% das pessoas disseram que não querem tomar a vacina COVID-19.

“O Japão é muito cauteloso com relação às vacinas porque, historicamente, há questões sobre os potenciais efeitos colaterais”-comentou Haruka Sakamoto, um pesquisador de saúde pública da Universidade de Tóquio.

“O governo está envolvido em várias ações judiais relacionadas ao assunto, o que aumenta sua cautela” -acrescentou Sakamoto.

Desconfiança da população

O governo está tentando equilibrar uma situação complicada ao tentar agir com rapidez para aprovar as vacinas e erradicar o vírus, mas criar essa impressão de um trabalho urgente pode ajudar a afastar o público já cético de ser vacinado.

A implantação das vacinas no Japão deverá ser mais lenta que a de outras nações, uma vez que o Reino Unido e os Estados Unidos já começaram a administrar mais de meio milhão de doses para sua população de profissionais de saúde e idosos.

“A decisão está nas mãos da população

O impacto da pandemia na economia e a aproximação das Olimpíadas de Tóquio em 2021, poderão levar a uma rápida aprovação das vacinas, no entanto, também pode levantar desconfianças sobre a real eficácia e efeitos colaterais.

Os dados iniciais das vacinas indicam dor local em cerca de 80% dos casos e fadiga e dores de cabeça em 50% dos casos.

De acordo com Tetsuo Nakayama, professor do Instituto Kitasato de Ciências da Vida, a forma como a população japonesa perceberá alguns efeitos colaterais também é preocupante, uma vez que não houve nenhuma uma vacina no Japão que tenha causado reações a níveis parecidos.

“A decisão final de receber ou não a vacina será da população”-disse Tamura, ministro da Saúde.

Leia também:

#coronavírus


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.