A nova onda de coronavírus no Japão é mais antiga e mais preocupante

As diferenças entre o recente ressurgimento de casos de coronavírus e a onda de casos quase “controlada” no verão, estão forçando os especialistas japoneses a ajustarem suas estratégias conforme o país se aproxima da estação mais fria do ano e possui a população mais vulnerável do mundo.

No início de novembro, o Japão experienciou um aumento de casos de coronavírus semelhante ao ressurgimento dos casos no verão, mas dessa vez, os especialistas estão pedindo que a população se prepare para o “pior cenário”, uma vez que os casos graves estão atingindo números recordes.

“Temos um senso de urgência sobre o fato de que o número de casos graves aumentou para quase 500”- comentou o ministro da Saúde, Norihisa Tamura.

Devido ao aumento de pacientes com sintomas graves, as autoridades estão se esforçando ao máximo para garantir leitos e profissionais de saúde suficientes para atendê-los.

Regiões mais preocupantes:

O surto atual está concentrado em quatro áreas principais, sendo elas Sapporo– que foi o primeiro lugar a ver o aumento repentino de casos, Aichi– o coração da indústria automobilística do Japão, Osaka– importante centro comercial, e por fim Tóquio– uma das capitais mais populosas do mundo.

Falta de leitos

Segundo a NHK, na maioria dessas regiões, os números de leitos estão quase esgotados. Tóquio por exemplo, já tem quase metade da capacidade de seus leitos ocupados.

A causa por trás do aumento de pacientes com casos graves da Covid-19 não é nenhum mistério, uma vez que a nova onda de coronavírus está atingindo muito mais os idosos do que em comparação à onda de casos do verão.

Infelizmente, segundo os dados, mais da metade do total de mortes por Covid-19 no Japão, são de idosos com 80 anos ou mais.

#coronavírus


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.