via: Japan-based artisans create handcrafted medals for countries that aided disaster-hit areas - The Mainichi

International Japão

Artesões criam medalhas para presentear os países que ajudaram as áreas afetadas no desastre de 2011

2021.05.02

Uma década após o Grande Terremoto e tsunami que atingiu o leste do Japão em março de 2011, 70 artesãos da região de Tohoku, e de outros locais que também foram fortemente atingidos, estão preparando medalhas artesanais criadas para expressar gratidão aos países e organizações internacionais que ajudaram na reconstrução da área.

A centelha do projeto veio em 2018, ideia de um artesão francês Bruno Pifre, 63, que mora na cidade de Oishida, nordeste do Japão, na província de Yamagata “Quero dar medalhas feitas por nós, artesãos, aos atletas que irão vir ao Japão”, comentou Pifre. Ele então conversou com seus colegas sobre dar medalhas exclusivas até mesmo para atletas que não seriam premiados com ouro, prata ou bronze nos eventos.

Motivado pela ideia de Pifre, o artesão Tadahiro Eguchi, 63, residente na cidade de Nagai, também da província de Yamagata, discutiu sobre o projeto com um membro do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio a respeito. No entanto, como se espera que cerca de 20.000 atletas venham ao Japão, foi decidido que as medalhas artesanais seriam entregues aos países de apoio por meio de suas respectivas embaixadas no Japão.

Assim, em 2019, o Projeto da Medalha Tohoku Fukko (reconstrução) iniciou suas atividades. Os responsáveis ​​pelo projeto arcaram com os custos e trabalharam voluntariamente, sendo o professor da Universidade Tokyo Zokei, Toshiro Tamada, convidado para ser o coordenador principal do projeto.

As medalhas têm 9 centímetros de diâmetro e 2 cm de espessura no máximo. Os produtos finalizados são colocados em caixas de paulownia de 10 centímetros quadrados e serão presenteadas de duas a tres medalhas a todos os países apoiadores. Ao todo, um total de 70 artesãos, artistas, designers e outros artesãos das seis prefeituras da região de Tohoku foram recrutados para o projeto.

Os materiais para as medalhas incluem uma variedade de cerâmica, vidro, madeira, metal e papel washi japonês, e pares de 61 designs de medalhas idiossincráticas foram produzidos em novembro de 2020. Haverá exposições em Tohoku e Tóquio, onde serão apresentadas as medalhas que serão presenteadas, os artesãos esperam que o projeto se torne uma oportunidade de divulgação sobre as atividades artesanais na região.

Os destinatários incluirão mais de 20 embaixadas no Japão de países que enviaram equipes de resgate para 17 áreas afetadas pelo desastre, de Aomori às prefeituras de Fukushima. Isso inclui Coréia do Sul, Cingapura, Alemanha, Estados Unidos e Turquia. Também estão incluídas instituições internacionais, como a Agência Internacional de Energia Atômica e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, que enviaram seus especialistas ao Japão após o desastre. Embora as datas do projeto como um todo tenham sido atrasadas pelo coronavírus, o grupo quer visitar sucessivamente as embaixadas, explicando a intenção do projeto e o pensamento por trás dos presentes (criações).

Pifre comentou: “Nesta era do coronavírus, queremos comunicar ideias de como superar as dificuldades e avançar para as pessoas do mundo por meio dos trabalhos artísticos criativos de Tohoku.”

Você pode conferir fotos das medalhas e mais detalhes do projeto no site oficial do projeto: http://www.fukko-medal.org/

Site oficial (inglês): http://fukko-medal-eng.sakura.ne.jp/

#diaadia

Leia também:

Olimpíadas: em Osaka revezamento da tocha acontece em parque vazio

Mascotes anunciam contagem regressiva para o início das Olimpíadas de Tóquio

Organizadores das Olimpíadas de Tóquio contratam 500 enfermeiras para alocar nas instalações olímpicas


Artesões criam medalhas para presentear os países que ajudaram as áreas afetadas no desastre de 2011 International Japão