Bebê Yoda e Sonic, por que um é considerado “fofinho” e o outro não?

Os personagens animados cativam o público quando são personagens fofinhos, começando por Bebê Yoda, Detetive Picachu, Minions, e tantos outros que nem dá para fazer uma lista.

Os personagens citados acima foram os que deram certo, e popularizou em cima de boas críticas, mas vocês se lembram do personagem que não deu muito certo como foi o caso do Sonic?

Ver a imagem de origem

Os criadores do Sonic: O filme, tiveram que mudar as características do rosto do personagem, depois de terem lançado o trailer do filme. O que faz uns personagens serem fofos, e outros não?

Na verdade, existe um mecanismo para criação de personagens fofinhos. O responsável por personagens da Marvel, Franscisco Anthony, disse: “Projetar personagens pode parecer simples, mas não é. Estou sempre procurando às escuras a melhor forma”. Francisco é a pessoa que trabalhou na arte conceitual do Bebê Groot para o filme Guardiões da Galáxia em 2014. Ele teve que ajustar várias proporções como: o tamanho da cabeça, a posição do nariz, a cor e a textura do corpo do personagem. Houve muitas combinações de características para chegar até o efeito final.

Há um estudo científico sobre isso!

Em 1943, o austríaco Konrad Lorenz, apresentou um conceito chamado “Kindchenschema”, que basicamente provou que o animais bebês tem algo que fazem os adultos terem vontade de cuidar deles, e isso seria devido aos olhos grandes, bocas pequenas, cabeça redonda, etc. Desde então, vários estudos têm sido realizados em relação aos três fatores: “bebê”, “fofura”, e a resposta social em cima dessas palavras-chave.

Voltando a falar do Sonic, depois de muuuuitos estudos, alguém percebeu que tinham que mudar algumas características do personagem. Eles acertaram, não?

Ver a imagem de origem

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.