Anúncio japonês aborda a questão da violência sexual contra as mulheres e se torna viral na internet

“Virar as costas cria uma sociedade na qual é fácil a ocorrência da violência sexual”.

Um dos comerciais de conscientização pública mais marcantes que o Japão já produziu foi feito pelo Advertising Council Japan através do ponto de vista de duas mulheres japonesas. O anúncio aborda a campanha #ActiveBystander que conscientiza as pessoas sobre a violência sexual contra as mulheres.

Ampliando a conscientização sobre a violência sexual

O anúncio que foi lançado há três meses, teve mais de dois milhões de visualizações em menos de uma semana e recebeu muitos elogios no twitter por evidenciar a violência sexual que está presente na vida de muitas mulheres.

O anúncio “rotula” seis casos comuns de assédio sexual que as mulheres japonesas sofrem diariamente.

O primeiro caso retratado no anúncio mostra um homem em uma escada rolante tentando filmar por baixo da saia de uma mulher que está em sua frente; o segundo caso mostra um outro tipo de assédio chamado “butsukariya” quando um homem intencionalmente encosta nos seios ou em outra parte do corpo de uma mulher enquanto passa por ela na rua.

O terceiro caso é quando um ciclista passa e tateia alguma parte do corpo da vítima; o quarto caso mostra quando um desconhecido persegue a vítima persistentemente no meio da rua pedindo seu número.

O quinto caso retratado mostra um homem durante um encontro colocando algum tipo de droga na bebida da mulher, e o último caso retratado mostra um chefe abraçando e fazendo perguntas particulares à uma funcionária durante um encontro de bebidas com vários colegas da empresa.

Na primeira parte do anúncio, um jovem vê todos os casos de assédio através do seu ponto de vista, como um espectador, e inclusive apresenta um olhar “neutro” que indica que a situação que ocorre bem ali na sua frente não é da sua conta.

A segunda parte do vídeo mostra o mesmo jovem interferindo e realizando pequenas ações, algumas até interrompendo o assédio, outras amparando a vítima e evitando que os incidentes aconteçam.

As duas partes do vídeo são conectadas pela frase: “virar as costas cria uma sociedade na qual é fácil a ocorrência de violência sexual.”

Sob o ponto de vista de duas mulheres

As duas japonesas por trás do anúncio da “ActiveBystander são Shiori Onuki, uma educadora sexual que dirige um canal no youtube, e a escritora Artesia.

“Quando se trata de vídeos japoneses de conscientização pública, a maioria deles pede à vítima para praticar autoproteção, como por exemplo, tirando seus fones de ouvido ao andar à noite (…) Mas pensei que não se tratava apenas dos esforços das vítimas, e que se mais pessoas nas proximidades começassem a agir, isso certamente criaria uma sociedade na qual é difícil cometer violência sexual”- comentou Onuki.

O anúncio foi um passo importante para o Japão, onde situações não confortáveis são vistas como “incidentes não virtuosos e inadequados” e muitas vezes são minimizados e ignorados.

Infelizmente o anúncio ainda não foi transmito na TV, mas os próprios espectadores estão pedindo para que seja, devido ao grande impacto que ele pode ter na conscientização das pessoas sobre a violência sexual contra as mulheres.

Existem muitos tipos de violência contra a mulher, e o assédio sexual é um deles. O termo tem um sentido mais amplo e se refere a qualquer tipo de comportamento não desejado com conotação sexual (que pode ser manifestado em forma verbal, não verbal ou física) ou até mesmo “constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual”.

Na maioria das vezes o assédio é tão “mascarado” e intimidador que muitas vítimas não conseguem denunciar e nem falar sobre o assunto com outras pessoas.

Se você for uma vítima, ou conhece alguma mulher que já passou ou está passando por algum tipo de violência sexual não deixe de denunciar ou buscar ajuda.

O governo japonês também disponibiliza a linha direta #8891 (Centro de Apoio One Stop) que atende vítimas que sofreram violência sexual.

Leia também:

#crime


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.