Conheça o restaurante que há mais de 20 anos serve refeições econômicas em Gunma

Um restaurante localizado na cidade de Kiryu, província de Gunma, está se esforçando para continuar fornecendo suas refeições pelo preço de 500 ienes mesmo em meio à crise econômica causada pelo coronavírus.

Os restaurantes de todo o Japão foram e estão sendo duramente atingidos à medida que os clientes estão evitando frequentar esses locais. Apesar das provações econômicas, a Hatchan Shop em Kiryu, província de Gunma, continua oferecendo seu buffet livre com os mesmos pratos especiais pelo mesmo preço. O restaurante de “uma moeda”, administrado por Hatsue Tamura, 85 anos, tem recebido um fluxo interminável de clientes, mesmo com a disseminação do coronavírus.

Os clientes da Hatchan Shop geralmente fazem fila do lado de fora do restaurante antes mesmo da abertura (11:30 hrs) e seus 30 lugares são rapidamente preenchidos. O buffet oferece arroz, sopa de missô e pelo menos 10 pratos, com vegetais da estação e peixes para evitar que os clientes se cansem dos mesmos pratos. Além disso, o restaurante continua cobrando o mesmo preço de 500 ienes pelo buffet desde 1997 para pessoas com idade escolar ou mais, crianças mais novas comem de graça. Por um tempo, até distribuiu refeições gratuitas para pessoas que o visitavam de fora da província de Gunma.

“Como usamos um buffet livre, onde os clientes se servem à vontade e escolhem o que gostam, posso me poupar o esforço de servir as refeições em cada mesa”, disse Tamura com um sorriso despreocupado. Não só os moradores locais, mas também há clientes de províncias desde Hokkaido até Okinawa, que descobrem o restaurante pela internet, e vão até o restaurante para conhecê-lo.

A personalidade calorosa de Tamura parece ser uma das razões por trás da popularidade do restaurante. Nozomu Abe, 41, da cidade de Ota, província de Gunma, disse: ” Sou fã de Hatsue e visito o local de bicicleta. Os ensopados e peixes são excelentes”

Embora o restaurante tenha funcionado todos os dias, exceto aos domingos, por mais de 20 anos, ele não teve escolha a não ser fechar suas portas de junho a agosto de 2020 por causa do coronavírus. Tamura não ficou desesperada ou preocupada com a situação, pois o restaurante nunca funcionou no vermelho. Ela comentou: ” Eu administro o restaurante às minhas próprias custas e cuido dos déficits com a minha aposentadoria. Fico feliz em ver os rostos felizes dos clientes”

Tamura nasceu em Kiryu antes da Segunda Guerra Mundial, e questões familiares a impediram de continuar na escola depois da segunda série, fazendo com que ela começasse a trabalhar aos 10 anos. Aos 57 anos, quando ela terminou de criar seus 3 filhos, ela saiu de férias de motocicleta como uma recompensa para si mesma.

Ao longo de sua viagem pelo país, Tamura conheceu várias pessoas e teve interações comoventes com elas, como ser presenteada com vegetais e frutas e receber lugares para ficar quando precisasse de um. Depois de tantas experiências boas, ela teve vontade de “retribuir essas gentilezas”, dedicando-se às pessoas que conheceria no futuro. E então ela decidiu colocar seus dotes culinários em prática e abriu o restaurante em frente de sua casa.

Tamura pretende continuar atendendo seus clientes, mesmo com a crise da pandemia. Ela disse: ” Gostaria de manter o restaurante aberto pelo menos até os 90 anos. Vou trabalhar duro enquanto o meu corpo aguentar”.

“Com tanto amor envolvido nesse restaurante, dá até vontade de ir visitar e conhecer a Sra. Tamura pessoalmente, o que vocês acham?”

Leia também:

#diaadia


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.