DIA A DIA

Informação, cultura, turismo e entretenimento para brasileiros no Japão

CURIOSIDADE NA INFÂNCIA l Patrícia Garcia

Você tem um filho curioso que está sempre mexendo em algo, pesquisando, ligado em tudo e vive perguntando “porquê, porquê, porquê”?

E quantas vezes esse comportamento mexe com suas emoções?

A curiosidade e o processo de aprendizagem das crianças

Uma pesquisa da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, realizou uma série de experimentos para descobrir o que acontece no cérebro quando a curiosidade é despertada.

Nesta perspectiva, os pesquisadores descobriram que indivíduos tiveram mais facilidade para aprender e lembrar informações completamente independentes.

Um dos co-autores do estudo, Dr. Matthias Gruber, explica que isso acontece porque a curiosidade coloca o cérebro em um estado que lhe permite aprender e reter qualquer tipo de informação, motivando o aprendizado.

Assim, crianças curiosas não só fazem perguntas, mas também procuram as respostas. Desta forma, a curiosidade está intimamente ligada com o processo de aprendizagem das crianças, pois, além de preparar o cérebro, também pode tornar o aprendizado uma experiência mais interessante.

Se meu filho me perguntar algo que não sei, como devo reagir?

A partir desta importante pesquisa, podemos aproveitar a curiosidade e as constantes perguntas das crianças para estimular a aprendizagem. Ou seja, quando seu filho questionar algo que você não sabe ou não quer responder, convide-o a pesquisar sobre o assunto. A internet deve ser usada como aliada neste processo.

Ver vídeos, ler sites e observar imagens ajuda, na coleta de informações e posteriormente vocês podem conversar sobre os dados, debater as ideias e explorar opiniões.

Além de sanar a curiosidade do seu filho, você ainda vai ajudá-lo a desenvolver a habilidade de expressar suas ideias, respeitar a opinião alheia e de ir atrás do que ele tem interesse. Todas essas habilidades contribuirão muito para os estudos e as relações interpessoais.

Okay, e quando a pergunta não é assunto de criança? Quantas vezes já falamos a famosa frase: “Não te mete que isso não é assunto de
criança. Deixa de ser curioso!”
?

É bem comum as crianças se interessarem por diferentes assuntos, principalmente quando os ânimos ou a voz do falante sofre alteração. A criança percebe e quer saber o que está acontecendo.

Por mais que o assunto não seja para ela, restringi-la da conversa pode impactar no interesse e na curiosidade dela pelo novo. Posteriormente, o comportamento de limitar-se a simplesmente aceitar o que é dito torna-se comum. E aí se perde a curiosidade de saber mais sobre os conteúdos da escola, por exemplo.

Mostrando outras habilidades para os filhos

Você pode mostrar ao seu filho que no momento está conversando sobre o “assunto X” com a outra pessoa e que apesar de vocês expressarem suas emoções e opiniões em um tom mais alto, acharam um meio-termo para alinharem os pontos e que ele pode ficar tranquilo e voltar a brincar.

Em outro momento você compartilha com ele como ficou a conversa. Assim, você ensina outras habilidades, como confiança, resolução de conflitos, comunicação e autogestão das emoções.

Ainda sobre a curiosidade: os pesquisadores estão ansiosos para investigar por que algumas pessoas são naturalmente mais curiosas do que outras, e quais os fatores que mais influenciam o quanto curiosos somos.

Vamos ter que esperar essa investigação para entender porque o seu filho é tão curioso. Contudo, podemos usar as situações do dia a dia para ensinar e estimular essa curiosidade para o aprendizado. Como? Faça perguntas! E deixe ele fazer perguntas também.

Agora eu tenho algumas perguntas: “Este artigo fez sentido para você?”, “Você quer saber mais sobre o nosso Projeto Chōchō?” Acesse nossas redes sociais e faça sua pergunta. Aqui, elas sempre são bem-vindas!

Conheça mais sobre o Projeto Chōchō:

Facebook
Instagram
YouTube

Matéria por Patrícia Garcia

#ajudaemocional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *