Economia do Japão apresenta recuperação com o aumento dos gastos

A terceira maior economia do mundo se recuperou aos níveis pré-pandemia no segundo trimestre, com o aumento dos gastos dos consumidores após o alívio das restrições do coronavírus.

O Japão se recuperou a um ritmo mais lento do que o esperado no segundo trimestre, mostraram dados de segunda-feira, mas ainda é incerto se o consumo crescerá o suficiente para reforçar a recuperação.

Embora o aumento do consumo tenha sustentado o crescimento de abril a junho, as perspectivas foram obscurecidas devido ao ressurgimento das infecções, pela desaceleração do crescimento global, restrições de oferta, aumento dos preços das matérias-primas e o aumento do custo de vida das famílias.

“O consumo e as despesas de capital continuarão a impulsionar o crescimento em julho-setembro. Mas o impulso pode não ser tão forte, pois o aumento da inflação está esfriando os gastos das famílias”-disse Atsushi Takeda, economista-chefe do Itochu Economic Research Institute.

“Embora a demanda doméstica possa continuar a se expandir, a queda nas exportações pode frear a recuperação do Japão”-acresentou.

O aumento do custo de vida

A terceira maior economia do mundo expandiu 2,2% em termos anualizados de abril a junho, mostraram dados do governo, marcando o terceiro trimestre consecutivo de aumento, mas ficou abaixo das previsões medianas do mercado de um ganho de 2,5%.

Segundo os dados, o crescimento foi impulsionado em grande parte por um ganho de 1,1% no consumo privado, à medida que as empresas reabriram após o levantamento das restrições às atividade econômicas. O aumento do consumo, no entanto, foi menor que as previsões do mercado para um aumento de 1,3%.

A remuneração dos assalariados durante abril-junho, ajustada pela inflação, caiu 0,9% em relação ao trimestre anterior, uma queda mais profunda do que uma queda de 0,1% em janeiro-março, um sinal de que o aumento do custo de vida está prejudicando a renda familiar.

As despesas de capital, outro fator importante do crescimento de abril a junho, aumentaram 1,4% em relação ao trimestre anterior, superando a previsão média do mercado para uma expansão de 0,9%.

A demanda doméstica acrescentou 0,5% ao crescimento do PIB, enquanto a demanda externa não alterou o crescimento.

O Japão ficou atrás de outras grandes economias na recuperação total do impacto da pandemia devido ao fraco consumo, atribuído em parte às restrições das atividades que duraram até março.

Os formuladores de políticas esperam que a demanda reprimida sustente o consumo até que os salários subam o suficiente para compensar o aumento do custo de vida. Mas segundo os analistas, ainda há incerteza se as empresas aumentarão os salários em meio aos riscos crescentes de desaceleração da demanda global.

Fonte: Japan Times e Asahi Shimbun

Leia também:

#diaadia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *