Economia do Japão pode ter uma reviravolta recorde se a pandemia for controlada

Conforme o impacto da pandemia for diminuindo, a economia do Japão presenciará uma recuperação mais acentuada em décadas, com o consumo definido para aumentar no final de 2021.

De acordo com a projeção de 35 economistas consultados pelo Japan Center for Economic Research, a terceira maior economia do mundo deverá crescer 3,42% no próximo ano fiscal (que irá até março de 2022), após contrair 5,37% neste ano fiscal.

Caso esta estimativa seja confirmada, haverá uma reviravolta de uma das piores contrações econômicas. No entanto, a expectativa para a recuperação poderá sofrer um golpe sério após o primeiro-ministro Yoshihide Suga anunciar nesta segunda-feira que o governo está considerando declarar outro estado de emergência em meio ao aumento dos casos de coronavírus.

Os gastos dos consumidores deverão ganhar impulso conforme as vacinas contra o coronavírus se tornarem disponíveis para uso geral no próximo verão, intensificando-se caso as Olimpíadas e Paraolimpíadas forem realizadas em julho.

“A economia do Japão vai se beneficiar com o efeito da vacinação em todo o país”-disse Atsushi Takeda, economista-chefe do Instituto de Pesquisa Itochu.

Como ficará a economia se o Japão entrar em estado de emergência novamente?

Em abril do ano passado, o ex-primeiro-ministro Shinzo Abe declarou um estado de emergência a fim de conter as infecções por coronavírus. Em apenas um mês de restrições, muitas empresas entraram no vermelho, e restaurantes e lojas foram drasticamente prejudicados em meio ao temor da população.

No entanto, no trimestre seguinte a economia teve uma leve recuperação com o recomeço gradual das atividades.

“O consumo doméstico no setor de serviços pode se normalizar na segunda metade do ano com a remoção das restrições à imobilidade humana e ao contato pessoal”-comentou Toshihiro Nagahama, economista-chefe do Dai-ichi Life Research Institute.

Mas no pior dos cenários, o aumento dos casos poderá complicar a recuperação da economia. O Japão confirmou mais de 230.000 infecções, chegando a registrar um recorde de 4.000 infecções diárias na quinta-feira da semana passada.

Leia também:

e

#diaadia


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.