Em cada 100 pessoas 11 deixam de frequentar as conveniências devido ao coronavírus

As vendas das lojas de conveniência no Japão caíram 5,2% no mês de junho em comparação ao ano anterior (2019), informou um órgão da indústria. Em cada 100 pessoas, 11 deixam de frequentar as conveniências devido ao coronavírus.

No entanto, houve uma melhora em comparação ao mês de abril, onde a queda recorde foi de 10,6% e logo depois 10% em maio.

O número de compradores caiu 11,6% em relação ao ano anterior, porém os gastos médio por pessoa aumentou em 7,3%, chegando a 670 ienes (34 reais) por cliente.

Com a chegada do coronavírus houve algumas mudanças no processo de vendas nas conveniências.

Quais foram as mudanças?

Ao pagar, deve se manter 1 metro de distância de outro cliente ao fazer fila;

O cliente deve colocar o dinheiro sobre o ”tapete de moeda”, e não passar direto para mão do funcionário, ao receber o troco e o recibo deve se usar o mesmo procedimento;

Os funcionários são obrigados a usarem máscaras, já os clientes não, porém possui sempre um aviso nas entradas nas conveniências para fazer o uso;

Muitas conveniências interditaram seus fumódromos, tanto na parte interna como na parte externa;

As mesas e cadeira foram interditadas, em alguns locais pode se fazer o uso mas sempre mantendo uma distancia uma da outra. E não pode se sentar de frente para o outro;

Álcool na entrada para os clientes;

No caixa possui uma divisória de plástico entre o cliente e o funcionário;

Ao usar o banheiro da conveniência não se pode secar as mãos com o ”secador de mãos”, apenas utilizando o papel toalha;

No mês passado, foi interditado os banheiros e os lixos para os clientes.

#diaadia


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.