Empresa japonesa oferece aluguel de apartamentos a fim de evitar “divórcios por coronavírus”

Uma empresa japonesa que aluga apartamentos à curto prazo, está incentivando os cônjuges que enfrentam brigas e climas de tensão no período de isolamento social à alugarem um apartamento antes de pensarem em um “divórcio”.

Em razão do estado de emergência, muitas pessoas estão evitando sair de casa, escolas estão paradas e o home office foi solicitado por muitas empresas. Dessa forma, o convívio diário acaba potencializando o cenário de briga entre os casais estressados.

A empresa de aluguel temporário está solicitando que as pessoas que estão enfrentando problemas na convivência, não hesitem em procurar uma de suas unidades para escapar das brigas, tirarem um tempo para si ou apenas poderem “trabalhar em paz”.

A empresa possui cerca de 500 unidades espalhadas pelo Japão. Segundo o porta voz da empresa Kosuke Amano, desde o início da campanha no começo de abril, eles já contam com 20 clientes.

Segundo Kosuke, uma das clientes que solicitaram o serviço disse que “decidiu tirar um tempo para si mesma, já que estava cansada de cuidar dos filhos, que estão em casa o dia todo devido o fechamento das escolas enquanto o marido trabalha remotamente em casa”.

A emissora de televisão NHK também está dedicando uma parte do programa da manhã para ensinar algumas dicas aos casais, sobre como evitar frustrações que podem acabar estragando o casamento, enquanto estão presos nos apartamentos apertados.

A empresa disse que ainda não tem dados sólidos que comprove que o número de divórcio está aumentando no Japão, porém relatou que a taxa de separação está subindo em outros países como China e Rússia.

Eles lançaram até uma hashtag  “divórcio-corona”  que está se mostrando uma tendência no twitter:

E aí será que vale mesmo a pena alugar um apartamento a fim de não brigar com seu parceiro ou apostar em um diálogo sincero resolvendo a situação com paciência e compreensão?


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.