“Fale com a polícia”, Centro de Orientação Infantil não ajuda garota às 3 da manhã

No dia 18 (ontem), foi descoberto que um funcionário de um Centro de Orientação Infantil da cidade de Kobe não aceitou uma garota no 6° ano, que tinha vindo para pedir ajuda na madrugada do dia 10 de fevereiro.

“Meus pais brigaram comigo, e eu fui mandada embora”, dizia a garota do 6° ano para o funcionário.

O funcionário que tinha atendido o interfone pediu para que ela fosse “falar com a polícia”, e não tentou ajuda-la.

No manual do Centro de Orientação Infantil há regras na qual está escrito que qualquer funcionário deve ligar ao orientador-chefe para tomar as medidas certas, porém o funcionário não entrou em contato com o seu chefe até a polícia de Kobe ligar para o Centro de Orientação Infantil.

Em resposta a entrevista, o funcionário disse que “não senti urgência pela voz da garota. E pelo jeito dela falar parecia que já era mais velha”.

O Centro de Orientação Infantil de Kobe pediu desculpas pelo o acontecido, e disse que irá pedir para os funcionários trabalharem conforme o manual de instruções.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.