Gastos das famílias no Japão sobem, mas a alta dos preços freiam o consumo

O Japão é uma das maiores economias do mundo e um dos países com maior segurança e qualidade de vida. Em proporção ao alto padrão de vida, os gastos no Japão também são mais caros.

Pelo segundo mês consecutivo, os gastos das famílias japonesas subiram em relação ao mês de fevereiro de 2021, embora o consumo venha perdendo força devido à crescente alta dos preços.

Com o aumento dos preços, muitas famílias cortaram gastos em relação ao mês anterior, quando o Japão ainda estava sob as restrições da pandemia.

Os preços dos alimentos e dos combustíveis subiram, contribuindo para que esse cenário se formasse na terceira maior economia do mundo.

O salário real também estagnou em fevereiro, a medida que as pressões inflacionárias globais pesaram sobre o poder de compra das famílias que moram no Japão.

“Os preços vão superar os ganhos salariais a partir de agora, então o consumo estará em uma tendência lenta”-disse Takeshi Minami, economista-chefe do Instituto de Pesquisa Norinchukin.

Além disso, segundo Takeshi Minami, os gastos com serviços provavelmente aumentarão a partir de abril, já que os preços mais altos podem afetar outras áreas de consumo.

Os gastos das famílias aumentaram 1,1% em fevereiro em relação ao ano anterior, mostraram dados do governo, um número abaixo do previsto pelo mercado, que previa 2,7% de aumento.

Os números mensais também foram abaixo do esperado, apresentando um declínio acentuado de 2,8%, um número superior à queda prevista de 1,5%.

Aumento dos gastos no Japão

Os dados levantam algumas preocupações para os formuladores de políticas que buscam maneiras de compensar o impacto que as famílias estão sofrendo com o aumento da inflação global e o enfraquecimento do iene, que está elevando os custos de importação.

As famílias aumentaram os gastos com telefones celulares, seguro de carro e peças como baterias com demanda reprimida devido a aumentos de preços, disse um funcionário do governo.

Uma pesquisa separada mostrou que a atividade do setor de serviços do Japão continuou a encolher em março, embora o ritmo de contração tenha diminuído à medida que a demanda doméstica aumentou com a subsequente flexibilização das restrições à pandemia no mês passado.

Outros dados do governo na terça-feira mostraram que os salários reais ajustados pela inflação pararam em fevereiro, com o crescimento dos preços ao consumidor compensando os ganhos no crescimento dos salários nominais.

A economia japonesa deverá crescer no trimestre atual após a contração esperada nos primeiros três meses do ano. Embora esteja enfrentando uma perspectiva imprevisível, em parte devido à situação da Ucrânia e ao iene mais fraco.

Fonte: Reuters

Matérias relacionadas:

Iene cai para mínima de cinco anos com aumento dos custos de importação do Japão

Empresas esperam que a economia do Japão cresça em 2022

#diaadia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.