Governo pretende dar 100.000 ienes para cada cidadão independentemente de sua renda (Entenda mais!)

O governo japonês está considerando dar 100.000 ienes (R$4809,44) para todas as pessoas, independentemente da renda, como parte dos esforços para amortecer o impacto econômico da crise do coronavírus, informaram autoridades nesta quarta-feira (15).

A nova ideia veio depois que Komeito, partido parceiro do partido governante, solicitou que o primeiro-ministro Shinzo Abe considerasse o programa de distribuição de dinheiro. Em uma reunião com Abe no escritório do primeiro-ministro, o líder do Komeito, Natsuo Yamaguchi, disse que o governo precisa enviar uma “mensagem forte” ao público de que fará tudo o que puder.

O governo examinará se um esquema geral de distribuição de dinheiro é viável e eficaz.

Desde que o estado de emergência foi declarado pelo governo (em 7 de abril), entramos em uma fase diferente, com seu impacto na economia e na sociedade se espalhando ainda mais”, disse Yamaguchi a repórteres depois de se encontrar com Abe. “É importante que o povo japonês receba a mensagem de que (o governo) está pronto para fazer tudo o que puder e de maneira rápida como resposta“, disse o líder do Komeito.

Toshihiro Nikai, secretário-geral do Partido Liberal Democrático, apresentou um plano semelhante para distribuir 100.000 ienes por pessoa, mas limitando os beneficiários, dependendo de seus níveis de renda.

O governo já decidiu doar 300.000 ienes para famílias que estão sofrendo com a queda de renda devido à disseminação do coronavírus como parte do maior pacote de estímulo econômico de 108 trilhões de ienes do país, mas os críticos dizem que o esquema não é claro em termos de quais famílias são elegíveis.

Quando o pacote de estímulo foi montado, Komeito propôs um programa para doar 100.000 ienes cada para pessoas atingidas pela queda de renda, mas sua proposta não foi incluída no pacote atual. A resposta de Abe ao surto de coronavírus, incluindo o estado da declaração de emergência, foi criticada pelos legisladores do partido da oposição por ter sido criada e posta em prática tarde demais.

A decisão do governo de entregar duas máscaras de pano para cada família levantou questões sobre sua eficácia no combate às infecções por coronavírus e foi ridicularizada nas mídias sociais como “Abenomask”, uma brincadeira de palavras que envolve o nome das políticas econômicas apelidadas de “Abenomics”. A publicação de um videoclipe mostrando um Abe relaxado em um sofá com seu cachorro também foi criticada, apesar de sua aparente intenção ter sido enfatizar a importância de ficar em casa para reduzir os riscos de transmissão.

O Japão está se esforçando para impedir um aumento explosivo de infecções por coronavírus. Sob o estado de emergência de um mês, Abe está pedindo às pessoas que reduzam o contato com outras pessoas em até 80% e que as empresas mudem para o ‘home office’ para obter um corte de 70% nos passageiros nos transportes público, como medida para evitar uma propagação ainda maior do vírus. Algumas empresas foram solicitadas a suspender todas as operações.

O secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga, disse que a primeira prioridade é buscar a aprovação do parlamento para o orçamento extra da nova proposta, e caso aprovada, as chances de todo mundo conseguir esses 100.000 de dinheiro durante essa pandemia seria real.

O primeiro-ministro respondeu (a Yamaguchi) que o consideraria (sua proposta) … é tudo o que posso dizer agora“, disse o principal porta-voz do governo em entrevista coletiva.

Lembrando que o próprio partido de Abe tinha cogitado no inicio da crise distribuir 12.000 ienes por cidadão, leia mais aqui.

Vamos esperar ansiosamente pela decisão!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.