Japão adiará plano que exigiria que os cartões “my number” fossem vinculados às informações da conta bancária

O governo japonês adiará um plano que visava exigir que o sistema de números fiscais e previdenciários (my number) fosse vinculado às informações da conta de poupança e depósito de cada um dos residentes.

O governo decidiu o adiamento do plano nesta sexta (27) após julgar que a ideia era “prematura” em meio à pandemia do coronavírus, e tal mudança aparentemente representará um retrocesso em relação aos encargos e benefícios da previdência social, apoderando-se com precisão dos bens públicos.

Sistema My Number

Originalmente, os cartões “my number” visavam melhorar a conveniência do público e a eficiência administrativa, contribuindo para uma sociedade mais equitativa, uma vez que impediria as pessoas de receberem benefícios de forma ilícita. No entanto, atualmente segundo a lei, é necessário o consentimento do indivíduo para que as informações da conta sejam ou não vinculadas ao sistema my number.

Benefícios dos 100.000 ienes

No início deste ano, o governo japonês decidiu distribuir 100.000 ienes para cada residente que fizesse a solicitação (independente da nacionalidade que estivesse registrado em um endereço até determinada data) a fim de amenizar o impacto do coronavírus.

O trabalho administrativo para confirmar as informações da conta de cada pessoa foi adiado e gerou críticas sobre possíveis defeitos no sistema my number, e para “resolver” esta falha, o governo chegou a considerar a vinculação das contas aos sistema.

No entanto, segundo a NHK, ao mesmo tempo que o vínculo não será mais obrigatório, as pessoas podem cadastrar uma conta voluntariamente, simplificando o procedimento de solicitação de benefícios em casos de emergência por exemplo.

As inscrições começarão a ser aceitar em 2022. Para mais informações acesse aqui.

#diaadia


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.