Japão bate novo recorde e atinge 30.000 infecções diárias por coronavírus

O Japão registrou mais de 30.000 novos casos de coronavírus na terça-feira (18), enquanto o governo central se prepara para colocar Tóquio e outras prefeituras sob medidas quase emergenciais em meio à rápida disseminação da variante Ômicron.

A contagem total de terça-feira, superou o recorde anterior de 25.992 registrado em 20 de agosto do ano passado.

O Japão está vendo a curva de infecções subir novamente

Leia também: Japão pondera expandir estado de quase emergência para mais 11 províncias

REUTERS/Kim Kyung Hoon

A contagem nacional chegou a 32.197 na terça-feira (18). Após chegar a 10.000 em 12 de janeiro, levou apenas dois dias para o número de casos diários dobrar.

Ontem, pelo menos 16 prefeituras registraram números recordes de infecções, com Osaka confirmando 5.396 novos casos, Hyogo relatando 1.645, Kyoto com 1.024 e Fukuoka vendo 1.338 novos casos de coronavírus.

Na capital japonesa, 5.185 novos casos foram confirmados na terça-feira. Esta foi a primeira vez que a contagem diária superou 5.000 desde 21 de agosto.

Leia também: Casos diários de coronavírus podem exceder 10 mil em Tóquio no pico da sexta onda

Estado de quase emergência para conter as infecções por coronavírus

O primeiro-ministro Fumio Kishida disse que seu governo consultará um grupo de especialistas na quarta-feira (19) para colocar Tóquio e mais 12 prefeituras sob as medidas de quase-emergência que entrarão em vigor de sexta-feira (21) a 13 de fevereiro.

“Várias prefeituras solicitaram a medida e gostaríamos de decidir sobre elas rapidamente”-disse o primeiro-ministro Fumio Kishida ao participar de uma reunião da coalizão governista liderada por seu Partido Liberal Democrata.

Os governadores podem solicitar que os restaurantes reduzam o horário de funcionamento e parem de servir álcool e pedir aos moradores que evitem viajar pelas fronteiras da província.

As medidas já estão em vigor nas províncias de Hiroshima, Yamaguchi e Okinawa e serão introduzidas em uma área mais ampla.

Os governos de Tóquio e das três prefeituras vizinhas de Saitama, Chiba e Kanagawa, além de Gifu, Mie, Aichi, Nagasaki, Kumamoto, Miyazaki, Niigata, Kagawa e Gunma também pediram para serem colocadas sob medidas quase emergenciais.

As solicitações ocorreram devido aos temores sobre a rápida disseminação do vírus e pressão sobre o sistema médico. Se declarado, o Japão veria 16 de suas 47 prefeituras sob as medidas antivírus.

Segundo o Ministério da Saúde, 84% dos novos casos positivos confirmados na semana até 9 de janeiro são pela variante Ômicron. Embora a variante aparentemente tenda a causar sintomas mais leves do que outras variantes, o ritmo de disseminação é o mais rápido já visto.

Fonte: The Mainichi

Leia mais:

Crianças são infectadas pelo coronavírus após cluster em escolas e creches de Aichi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.