Japão estudará melhores formas de ajudar os trabalhadores estrangeiros

Com a diminuição da força de trabalho doméstica, o Japão tem, cada vez mais, olhado para o exterior em busca de mão-de-obra estrangeira. Ainda há um longo caminho para a criação de uma sociedade inclusiva, em que trabalhadores japoneses e estrangeiros possam viver em um ambiente seguro e confortável, mas o país está se movendo para melhorar as condições de trabalho dos estrangeiros.

O Japão planeja realizar uma nova pesquisa no ano fiscal de 2023 para coletar dados sobre trabalhadores estrangeiros para melhorar e acomodar suas necessidades, segundo o Ministério do Trabalho.

Os dados do Ministério do Trabalho mostraram que o número de trabalhadores estrangeiros no Japão subiu para um recorde de 1,73 milhão em outubro de 2021. O envelhecimento e o encolhimento da população do Japão significam um declínio no número de trabalhadores, por isso o número de trabalhadores estrangeiros será cada vez maior no Japão.

Leia também: Japão precisa quadruplicar trabalhadores estrangeiros até 2040

Atualmente, o governo tem apenas informações básicas sobre eles, como status de residência, nacionalidade e o espaço em que trabalham.

Segundo os críticos, como o governo mantém informações insuficientes sobre as condições de emprego dos estrangeiros, ele não consegue propor medidas adequadas de apoio aos trabalhadores estrangeiros, visto que não conhece suas reais condições de emprego.

Os planos concretos para coleta de dados serão formulados a partir de abril deste ano, antes do início planejado.

Segundo o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar, os dados se tornarão comparáveis ​​às estatísticas trabalhistas de cidadãos japoneses.

Um relatório provisório sobre a pesquisa, mostrou no início de fevereiro que as estatísticas inicialmente abrangerão escritórios que contratam trabalhadores estrangeiros, incluindo estagiários técnicos.

Leia também: Advogados começarão a coletar dados sobre a discriminação racial contra estrangeiros no Japão

A pesquisa perguntará às empresas contratantes sobre a renda, tipos de empregos e tempo de serviço, status e tendências de emprego para os estrangeiros.

O questionário também inclui perguntas específicas, como proficiência em japonês, o idioma nativo, o tempo que ficarão no Japão e a quantidade de remessas, além de informações pessoais básicas, como idade e sexo.

No início deste ano, o ministério e a Agência de Serviços de Imigração do Japão iniciaram outra pesquisa para entender a situação financeira de estagiários técnicos estrangeiros, pois problemas financeiros parecem ser o motivo que os leva a deixarem suas empresas sem aviso prévio todos os anos em busca de melhores salários, entre outros motivos.

Fonte: Japan Times

Imagem de destaque: Kazuhiro NOGI / AFP

Leia também:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.