via: Japan steps up efforts to keep Indian variant out as cases rise : The Asahi Shimbun

Japão

Japão intensifica esforços para conter variante indiana à medida que os casos aumentam

Alguns especialistas em saúde temem que uma variante do coronavírus detectada pela primeira vez na Índia e potencialmente mais contagiosa comparada a que devastou a Grã-Bretanha esteja lentamente ganhando espaço no Japão.

O governo foi forçado a intensificar os esforços  para manter o vírus da Índia sob controle por meio de medidas de quarentenas rígidas nos aeroportos, e retardar sua propagação pela detecção precoce de pessoas infectadas com testes de PCR generalizados que podem detectar a mutação L452R na proteína spike, encontrada na variante Índia.

O ministério da saúde anunciou em 26 de maio, que 29 pessoas foram confirmadas como infectadas com a variante da Índia, conhecida como B.1.617, no Japão em 24 de maio.

Entre eles, havia seis pacientes nas prefeituras de Chiba e Osaka, cinco pacientes em cada uma das prefeituras de Tóquio e Shizuoka, e quatro pacientes da Prefeitura de Hyogo.

O número subiu para 160 em 17 de maio para as pessoas com teste positivo durante verificações em aeroportos.

Testes conduzidos pelo governo metropolitano de Tóquio mostraram que a variante da Índia foi detectada em 14 pessoas em 25 de maio.

Destes, nove foram infectados após contato próximo com pessoas que viajaram para o exterior, indicando que prevenir a invasão dos vírus nos aeroportos tem seus limites.

Tomoya Saito, chefe do Centro de Preparação e Resposta a Emergências do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas (NIID), disse que a variante pode ser mais disseminada do que se pensava.

”Dada a proporção de casos positivos encontrados em aeroportos, a variante da Índia pode ter feito incursões dentro do Japão em números significativamente maiores do que a cepa da Grã-Bretanha fez” no ano passado, disse ele.

O que também é alarmante são os relatos de casos de pessoas que testaram positivo para a variante da Índia, apesar de não ter viajado para o exterior nem ter contato com ninguém infectado.

Em 14 de maio, a Tokyo Medical and Dental University anunciou que um paciente em seu hospital foi confirmado com a variante da Índia.

O paciente infectado é um homem na casa dos 40 anos com uma doença latente. Ele não tinha registro de viagens ao exterior nem exposição a qualquer pessoa infectada com o vírus da Índia.

”O caso do paciente pode ser interpretado de que as infecções na comunidade com essa variante em particular estão aumentando”, disse Hiroaki Takeuchi, professor associado de virologia da universidade, acrescentando que os casos confirmados até agora podem não refletir necessariamente a extensão das infecções em cada região.

Yoshihiro Takayama, um médico do Hospital Chubu da Prefeitura de Okinawa que lidera a resposta ao  coronavírus da região, teme que a disseminação da variante da Índia exacerbe a batalha do Japão contra o vírus.

”Se a versão indiana varresse o país, seria muito mais devastador”, disse Takayama.

Os cientistas levantaram preocupações sobre uma possível queda  nos níveis de anticorpos criados entre as pessoas infectadas com a forma inicial do vírus.

Eles apontam para a possibilidade de que a proteção fornecida por uma vacina desenvolvida com base no vírus original possa diminuir.

Mas alguns estudos mostraram que as pessoas totalmente inoculadas com a vacina Pfizer-BioNTech também estão protegidas contra o vírus da Índia.

Leia também:

Dívida pública do Japão chega ao novo recorde de 1,2 quatrilhão de ienes

Casal foi preso por manter seus filhos gêmeos presos em armários

As vacinas Sinopharm contra a COVID-19 parecem seguras e eficazes

#coronavírus


Japão intensifica esforços para conter variante indiana à medida que os casos aumentam Japão