Japão já está na 6ª onda de infecções?

O Japão confirmou um total de 2.638 novos casos de coronavírus na quarta-feira (5), ultrapassando a marca de 2.000 pela primeira vez em mais de três meses. O aumento das infecções está levantando preocupações de uma sexta onda de infecções por COVID-19 no país.

Na contagem de quarta-feira, Okinawa foi responsável por 623 novas infecções, o que levou o governador Denny Tamaki à decisão de solicitar um quase estado de emergência para a região, de domingo até o final do mês. O governo de Okinawa planeja fazer a solicitação ao governo central nesta quinta-feira.

Em Tóquio, o governo metropolitano relatou mais 390 casos de COVID-19, atingindo o nível mais alto em três meses. A variante Ômicron foi responsável por 17 casos, com todos os infectados assintomáticos ou apresentando apenas sintomas leves. A nova variante já foi confirmada em pelo menos 37 das 47 prefeituras japonesas.

Após consultas com ministros de gabinete e especialistas em saúde pública, o primeiro-ministro Fumio Kishida deverá decidir na sexta-feira sobre a aplicação planejada de medidas de emergência.

Natsuo Yamaguchi, líder de Komeito disse a repórteres que se o governo central decidir impor medidas quase emergenciais em Okinawa, também deveria considerar fazer o mesmo em outras áreas como Tóquio e Osaka, onde as infecções também estão aumentando rapidamente.

A contagem diária em Osaka totalizou 244, sendo a primeira vez que ultrapassou 200 desde 6 de outubro. O governo central também está considerando declarar um quase estado de emergência nas prefeituras de Hiroshima e Yamaguchi, no oeste do Japão, pelo mesmo período estipulado em Okinawa.

Embora reconheça que a situação de Okinawa já justificaria um estado de emergência total, Tamaki expressou cautela sobre o impacto potencial na economia local.

O governo de Okinawa decidirá em uma reunião de força-tarefa nesta quinta-feira sobre quais medidas serão implementadas, já que o número diário da prefeitura ultrapassou 600 pela primeira vez desde 28 de agosto.

O governo de Okinawa acredita que o ressurgimento do vírus na prefeitura se deve ao fato da disseminação da variante Ômicron a partir das instalações militares dos Estados Unidos no Japão. Os casos cumulativos de Ômicron em Okinawa chegaram a 135 na terça-feira (4).

Fonte: The Mainichi

Leia também:

#coronavírus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *