Japoneses começam a estocar comida e governo pede calma

Os ministros do governo japonês pediram calma enquanto os moradores de Tóquio corriam para os supermercados para estocarem comida, após o pedido da governadora Yuriko Koike para as pessoas evitarem de sair neste fim de semana (como medida para conter uma propagação potencialmente explosiva do coronavírus).

Em uma reunião do Comitê de Orçamento da Câmara dos Vereadores nessa quinta-feira (26), o ministro da revitalização econômica Yasutoshi Nishimura disse: “Pedimos ao povo de Tóquio e do país que respondam com calma“. Ele também enfatizou que o governo “assumirá a responsabilidade pelo fornecimento de bens. Estamos monitorando a situação e tomaremos as medidas necessárias“.

Falando sobre o pedido da governadora para as pessoas de Tóquio ficarem em casa, o secretário-chefe do Gabinete Yoshihide Suga disse: “Acho que a decisão foi tomada com base no entendimento de que este é um período extremamente importante para evitar um aumento acentuado de infecções neste país“.

Em uma reunião do Ministério da Agricultura, Florestas e Pescas sobre sua resposta ao coronavírus, o ministro Taku Eto abordou a questão do aumento do número de pessoas que estocam alimentos. Ele disse: “Nosso sistema de suprimentos não está sendo afetado pela situação. Não há necessidade de entrar em pânico e correr para comprar comida, por isso pedimos às pessoas que tomem decisões calmas“.

O ministério da agricultura também pediu a organizações, incluindo atacadistas de arroz e a Japan Chain Stores Association, para garantir o fornecimento de mercadorias. Também informou que atualmente os atacadistas de arroz mantêm estoques há 190 dias de demanda.

Eto disse: “Pode não haver temporariamente macarrão e outros alimentos processados ​​para atender à demanda, mas temos estoques suficientes para atender às necessidades das pessoas”.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.