Jovem que recebeu 46 milhões da prefeitura por engano desaparece

No mês passado, relatamos o caso curioso de um homem que recebeu 46,3 milhões de ienes como ajuda financeira do COVID-19 de 100.000 ienes destinados a 463 famílias na cidade de Abu, província de Yamaguchi. Na época, o prefeito pediu desculpas pelo erro clerical que levou ao erro e estava buscando maneiras de recuperar o dinheiro, mas muita coisa aconteceu desde então.

Primeiro, os detalhes sobre como o erro ocorreu vieram à tona. A cidade compilou uma lista de todos os solicitantes do dinheiro e colocou todas as informações de suas contas em um disquete para enviar ao banco para executar as transferências. Antes de zombar deles por usarem essa tecnologia de armazenamento, essa parte realmente funcionou sem problemas.

O problema era que, junto com o disquete, a ordem de transferência da cidade também era enviada ao banco online. Era lá que a conta do homem em questão estava no topo da lista, mas estava aparentemente formatada de forma tão errônea que o banco a confundiu com uma espécie de proxy para o qual todo o dinheiro deveria ir primeiro e depois ser filtrado para a contas adequadas.

Quando o homem notou o ganho inesperado em sua conta em 8 de abril, ele parecia ter tido um daqueles momentos de anjo e diabo no ombro e o diabo rapidamente venceu. Pouco a pouco, ele começou a movimentar quantias de cerca de 600.000 ienes todos os dias por cerca de duas semanas para evitar a detecção. Enquanto isso, a cidade percebeu o que havia feito e começou a procurar o dinheiro. Quando descobriram para onde foi, imediatamente tentaram entrar em contato com o homem, mas tiveram dificuldades.

Depois que finalmente o alcançaram no 21 de abril, o homem informou que o dinheiro havia sumido de sua conta e que “não pode mais ser desfeito, não vou correr, e vou pagar pelo meu crime.”

Isso deixou as autoridades em uma posição embaraçosa legalmente, já que tecnicamente lhe deram o dinheiro por meio de um erro e não foi exatamente um roubo no sentido claro do crime. Eles consultaram advogados e agentes da lei e, em 12 de maio entraram com uma ação contra o homem, exigindo 51,16 milhões de ienes do valor que ele levou mais honorários advocatícios.

Havia apenas um problema… Ele já tinha sumido há muito tempo.

No tempo que a cidade levou para entrar com uma ação legal contra o homem, ele limpou sua conta bancária, largou o emprego, abandonou sua casa e fugiu. Acontece que ele não estava morando lá por muito tempo, tendo se mudado para Abu em outubro de 2020 por meio do programa Vacant House Bank. Esses tipos de programas ajudam os proprietários de casas vazias em áreas rurais a alugá-las, ao mesmo tempo que atraem jovens para repovoar essas áreas por meio de incentivos fiscais.

Repórteres falaram com o dono da casa que descreveu o homem de 24 anos como “um bom menino, jovem e bonito”. O senhorio também disse que recebeu aluguel do mês de maio, mas não tem certeza se continuará depois disso.

Nem é preciso dizer que um verdadeiro circo está crescendo a partir desse erro clerical e os leitores das notícias estão surpresos e envergonhados com o que aconteceu até agora.

“Ele é muito escorregadio.”

“Esta é uma história triste.”

“Os oficiais deram-lhe tempo suficiente para fugir. Isso é certeza.”

“Se ele estivesse na casa dos 70 anos, eu entenderia correr atrás. Mas aos 24, esse dinheiro não vai durar.”

“Há algo muito errado com o sistema, se isso pode acontecer.”

“Quando esse dinheiro acabar, ele ainda será um fugitivo.”

“Há tantas câmeras por aí hoje em dia, acho que ele não pode se safar disso.”

Parece que as probabilidades estão muito contra essa pessoa. Se a polícia pode rastrear indivíduos em uma multidão de milhares usando câmeras de vigilância, ele provavelmente teria que adotar um estilo de vida de sobrevivência no deserto para ficar fora de seu radar, o que ironicamente tornaria todo esse dinheiro inútil.

Por outro lado, ele ainda não está sendo tecnicamente acusado de um crime, então talvez a polícia não vá procurá-lo. De acordo com um advogado entrevistado por Nikkan Gendai, o processo prosseguirá na sua ausência e é praticamente garantido que será a favor da cidade. No entanto, após 10 anos, a ordem de pagamento de danos se tornará inválida e, essencialmente, ele terá escapado se as coisas permanecerem como estão.

Assista ao vídeo aonde repórteres mostram a antiga casa do jovem:

Fonte: Japan Today

Imagem de capa: Pakutaso

Matérias relacionadas

O trágico caso da criança de 5 anos espancada e confinada pela mãe e 2 colegas no Japão

Caso de esfaqueamento em cidade de Aichi assusta moradores

#diaadia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.