Legisladora do Japão se desculpa por dizer que “as mulheres mentem sobre agressão sexual”

Uma legisladora do principal partido governante do Japão, o Partido Liberal Democrático (PLD), se desculpou nesta quinta-feira (1º) após fazer uma observação dizendo que as mulheres podem fazer denúncias falsas ao dizerem que sofreram violência sexual.

No dia 25 de setembro, Mio Sugita (53) que é membro da Câmara dos Representantes, teria comentado: “As mulheres podem contar mentiras quando quiserem” se referindo ao serviço de consulta do governo para vítimas de violência sexual durante uma reunião do Gabinete do PLD.

Após seu comentário, a legisladora foi duramente criticada pelos partidos governista e de oposição e principalmente pelo público japonês, negando ter feito tal comentário, no entanto, ela mudou sua posição e se justificou em seu blog no dia 1º de outubro dizendo:

“O ato de contar uma mentira não depende do gênero, mas minha declaração deu a impressão de que apenas as mulheres contam mentiras. Peço desculpas àqueles que se sentiram desconfortáveis com isso”.

Ela ainda acrescentou que não tinha a intenção de desvalorizar as mulheres, e que acredita que a violência e os crimes sexuais devem ser eliminados, sejam eles contra mulheres ou homens.

Essa não foi a primeira vez que a legisladora fez comentários discriminatórios, em 2018 ela também foi criticada por dizer em um artigo de revista que o governo não deveria apoiar casais do mesmo sexo porque eles não podiam ter filhos e, portanto, não eram “produtivos”.

#diaadia


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.