Ministério da Saúde pede que mulheres grávidas e seus empregadores tomem medidas contra o coronavírus

Em resposta à disseminação do coronavírus, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar compilou nessa quarta-feira (1) medidas para evitar que mulheres grávidas contraiam o vírus.

Como existem preocupações de que as mulheres possam contrair o vírus durante o trajeto para o trabalho ou na própria empresa, o ministério buscou criar medidas para que as grávidas possam se ausentar, promovendo o trabalho à distância e horários de deslocamento alternados. Além disso, o ministério distribuirá máscaras de pano para mulheres grávidas através de seus governos municipais.

O ministério solicitou a cooperação de organizações empresariais como a Federação Empresarial do Japão (Keidanren), bem como a Confederação Sindical Japonesa (Rengo). Quanto aos salários em que as empresas têm suas trabalhadoras grávidas afastadas devido ao coronavírus, o ministério diz que é ideal que empregadores e trabalhadores conversem, e que empregadores estabeleçam um sistema de licença especial remunerada ou alguma outra medida nesse sentido.

A partir de meados de abril, o ministério distribuirá duas máscaras de tecido por mulher grávida nos centros públicos de saúde e em outras instalações dos municípios locais. Também é pedido que as mulheres grávidas “tomem medidas preventivas, como lavar as mãos com frequência e evitar lugares lotados“, e que entrem em contato imediatamente com os centros locais de saúde caso tenham tido contato com quem tem o vírus e caso apresentem alguns sintomas como febre de pelo menos 37,5 ºC por cerca dois dias seguidos.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.