Mulheres com altos níveis de chumbo no sangue têm mais chances de conceber meninos

Um estudo realizado no Japão descobriu que mulheres com níveis mais altos de chumbo no sangue podem ter maior probabilidade de conceber meninos.

A pesquisa sobre o impacto do chumbo na proporção de nascimentos entre homens e mulheres dividiu opiniões entre os especialistas.

No entanto, Nozomi Tatsuta, professor associado de medicina do desenvolvimento e ambiental da Escola de Medicina da Universidade de Tohoku, e os outros autores do estudo apontaram que a diminuição das concentrações de chumbo no ar pode estar contribuindo para o declínio da taxa de natalidade masculina no Japão.

Mas como a pesquisa chegou a essa conclusão?

Cerca de 100.000 pais e filhos participaram do Japan Environment and Children’s Study (JECS), uma pesquisa nacional do Ministério do Meio Ambiente sobre os efeitos de substâncias químicas.

O grupo de pesquisa estudou os níveis de chumbo no sangue de cerca de 85.000 mulheres grávidas com idades entre 22 e 28 anos.

Os pesquisadores dividiram os dados em cinco grupos de concentração de chumbo no sangue e o valor médio ficou em 5,85 nanogramas por grama. Cerca de 50,4% das gestantes desse nível deram à luz meninos, o que foi reconhecido como alto em significância estatística.

Além disso, 52,5% e 53,4% das gestantes com concentração de chumbo no sangue por grama de 6,96 nanogramas e 9,14 nanogramas, respectivamente, deram à luz meninos.

O estudo mostrou que níveis mais altos de chumbo no sangue resultaram em uma taxa de natalidade masculina mais alta, e níveis mais baixos de chumbo no sangue resultaram em uma taxa de natalidade feminina mais alta.

Em geral, a proporção de homens e mulheres ao nascer é de 104 a 107 meninos para cada 100 mulheres, mas o Japão tem visto um declínio no número de nascimentos de meninos.

O que explica o declínio de nascimentos de meninos no Japão?

“Pode ser devido ao declínio na concentração de chumbo no ar, já que o chumbo foi eliminado da gasolina e da tinta devido a regulamentações. Alguns relatórios dizem que o chumbo não tem impacto (na proporção de nascimentos feminino-masculino), então também precisamos para verificar os efeitos da exposição ao chumbo no pai”-explicou Tatsuya.

Os pesquisadores dizem que as pessoas que vivem em áreas com canos de água antigos, podem estar consumindo chumbo diariamente.

Embora o chumbo seja conhecido por criar riscos à saúde na gravidez, incluindo abortos espontâneos, partos prematuros e afetar o QI dos bebês, há poucas pesquisas sobre a associação do elemento com a proporção do sexo de bebês.

Embora tenham chegado a esses dados, o trabalho de pesquisa da equipe alerta que suas descobertas não se destinam a ser usadas para escolher o sexo do bebê.

Fonte: The Mainichi

Imagem de destaque: Kevin Liu/Getty Images

Leia mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.