DIA A DIA

Informação, cultura, turismo e entretenimento para brasileiros no Japão

Norte-americanos que ajudaram Ghosn fugir do Japão foram enviados para os EUA

Os dois norte-americanos que ajudaram Carlos Ghosn, ex presidente da Nissan, a fugir do Japão em 2019 foram enviados de volta aos Estados Unidos.

Michael Taylor, ex membro das Forças Especiais do Estados Unidos e seu filho, Peter Taylor foram declarados culpados no caso da fuga de Carlos Ghosn, foram presos nos Estados Unidos, e extraditados para o Japão, onde continuaram presos.

Em 2018, Ghosn foi preso no Japão sob a acusação de crimes corporativos: subestimar sua remuneração em milhões de ienes por anos e usar indevidamente os fundos da montadora. Ghosn nega os crimes.

Carlos Ghosn fugiu para o Líbano, com a ajuda dos norte-americanos, e como o Líbano não extradita seus nacionais, não há expectativa de Ghosn cumprir sua pena no Japão.

Em outubro, a Netflix lançou o documentário CEO em Fuga, que conta a história da carreira de Carlos Ghosn na empresa Renault, sua chegada na Nissan, e como os japoneses adoravam a sua presença, na qual virou personagem de mangá.

Imagem: Netflix Japan

Imagem: J-cast

Ghosn fugiu do Japão em um jato particular fretado por Michael Taylor, que se passou por um violinista que estava fazendo tour pelo Japão.

Agora Michael Taylor está detido no Metropolitan Detention Center em Los Angeles e deve ser solto em 1º de janeiro de 2023, de acordo com o site do Federal Bureau of Prisons, o filho, Peter Taylor foi liberado após sua chegada.

Fonte: The Mainichi

LEIA MAIS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *