via: Toyota president apologizes to family of employee who killed self after harassment - The Mainichi

Japão

O presidente da Toyota pede desculpas à família do funcionário que se matou vítima de assédio moral no trabalho

2021.06.07

O presidente da gigante global Toyota Motor Corp. se desculpou pessoalmente à família de um funcionário que se suicidou em 2017, após o reconhecimento que seu suicídio havia sido causado decorrente do assédio moral sofrido no ambiente de trabalho.

A montadora se comprometeu a adotar medidas rigorosas para evitar a reincidência e concordou em indenizar a família enlutada, em reconciliação alcançada pelas duas partes em 7 de abril. A mudança foi revelada pelo advogado da família e pela Toyota, embora o valor do acerto não tenha sido tornado público.

A Toyota havia negado anteriormente uma relação causal entre o assédio moral e o suicídio do homem de 28 anos, com base em uma investigação interna iniciada para investigação da sua morte. No entanto, o Escritório de Inspeção de Padrões de Trabalho Toyota do Aichi Labor Bureau decidiu a favor da família em setembro de 2019, reconhecendo que o caso era elegível para compensação do funcionário.

Pouco depois da decisão do Escritório de Inspeção, o presidente da Toyota Motor Corp. Akio Toyoda visitou a família do funcionário e reconheceu a relação causal entre o assédio e o suicídio. Quando o acordo foi posteriormente alcançado, o Presidente Toyoda mais uma vez se desculpou pessoalmente com a família e disse a eles: “Continuaremos a melhorar as medidas de prevenção de recorrência enquanto mantemos seu filho em nossa memória e transformaremos a Toyota.”

De acordo com a família, o trabalhador foi designado para o departamento de design de veículos na sede da montadora em Toyota, Prefeitura de Aichi, em março de 2016, após se formar na Universidade de Tóquio. No ambiente de trabalho ele foi repreendido por seu chefe imediato, com repreensões como “Você é um estúpido”, “Você é um idiota” e “É melhor você morrer”. A partir de julho daquele ano, o funcionário tirou três meses de licença e foi diagnosticado com transtorno de ansiedade.

Apesar da linguagem abusiva e outras formas de assédio, a montadora não compartilhou o motivo de sua ausência internamente. Quando voltou ao trabalho, o funcionário foi até obrigado a sentar-se perto do próprio gerente que o havia assediado. Aos poucos, ele começou a confidenciar às pessoas ao seu redor que queria morrer. Em outubro de 2017, ele cometeu suicídio em seu quarto em um dormitório da empresa. Após sua morte, sua família reclamou para a empresa que ele apresentava sintomas de ansiedade persistentes de trauma devido ao seu distúrbio de adaptação.

Sem levar em consideração as intenções da família e outros fatores, a Toyota Motor Corp. lançou uma nova investigação interna e reconheceu que a empresa violou seu dever de cuidar da segurança ao deixar de lidar com o superior em questão. Em resposta às medidas tomadas pela empresa, a família aceitou uma proposta de reconciliação sem levar o caso a tribunal.

Diversas medidas de prevenção de recorrência foram incluídas nos termos do acordo. Como parte das etapas, a montadora montou um balcão de consulta para denunciantes anônimos. Se descobrir um caso de assédio moral, e empresa conduzirá uma investigação cuidadosa junto com advogados terceirizados. A empresa também concordou em relatar seu progresso na abordagem sobre os casos de assédio à família nos próximos cinco anos.

“O assédio moral e abuso de poder pode arruinar a vida dos indivíduos e das pessoas ao seu redor. A empresa precisa fazer esforços sérios para melhorar seu ambiente de trabalho”, disse a família em um comunicado divulgado por meio de seu advogado Yoshihide Tachino, da Ordem dos Advogados de Osaka.

Tachino comentou: “As medidas (estabelecidas pela Toyota) podem ser elogiadas por adotar as opiniões da família enlutada e mostrar a resolução da empresa de coibir o assédio de poder. Espero que outras empresas as usem como referência.”

A Toyota Motor Corp. divulgou um comunicado dizendo: “Levamos a sério o fato de que a vida preciosa de nosso funcionário foi perdida e garantiremos que as medidas de prevenção de recorrência sejam totalmente tomadas, mantendo essa dor em mente pelo resto de nossas vidas.”

– Linha direta de prevenção de suicídio no Japão com suporte em inglês

TELL  Site Japão (inglês): https://telljp.com/

Linha direta: 03-5774-0992 (diariamente)

Atendimento online: https://telljp.com/lifeline/tell-chat/

Consultas para aconselhamento: 03-4550-1146 (de segunda a sexta, das 10h às 15h)

Uma seleção de números de emergência com suporte multilíngue também é fornecida na parte inferior da página inicial.

* O horário de atendimento da linha direta e do chat online depende do dia e está sujeito a alterações. Verifique a página do Facebook com link abaixo para informações atualizadas:

Facebook Tell Japan

Leia também:

Funcionário da Toyota se suicida e a causa foi o assédio que sofria na empresa

Funcionários de lojas sofrem assédio de clientes no Japão devido a pandemia

McDonald’s vai exigir treinamento anti-assédio em todo o mundo

#diaadia


O presidente da Toyota pede desculpas à família do funcionário que se matou vítima de assédio moral no trabalho Japão