Osaka: 5ª cidade mais cara para se viver no mundo

A pesquisa realizada pela Economist Intelligence Unit (EIU) comparou o preço de 138 produtos e serviços em mais de 130 cidades do mundo e Osaka ficou classificada em 5º lugar, empatada com Tel Aviv, cidade de Israel.

Créditos: cnbc.com

No relatório lançado pela EIU em março Osaka e Cingapura estavam empatadas em primeiro junto com Hong Kong, a mudança do ranking é um reflexo dos efeitos da pandemia na economia mundial.

De acordo com o relatório, o salto de Zurique e Paris para o primeiro lugar deveu-se ao fortalecimento do franco suíço e do euro.

“A pandemia de Covid-19 causou o enfraquecimento do dólar americano, enquanto as moedas da Europa Ocidental e do norte da Ásia se fortaleceram contra ele, o que por sua vez mudou os preços de bens e serviços nessas regiões” relata Upasana Dutt, chefe da equipe de Custo de Vida Mundial da EIU “.

Créditos: depositphotos

As cidades asiaticas tradicionalmente dominavam o topo, no entanto a pandemia remodelou o ranking, um exemplo é Cingapura, que caiu de 1º para 4º lugar, de acordo com o relatório os preços caíram por causa de um êxodo de trabalhadores estrangeiros.

No caso de Osaka, o relatório aponta que “a população geral da cidade diminuiu pela primeira vez desde 2003, o que levou a demanda a diminuir e a deflação se instalou. Os preços ao consumidor estão estagnados e o governo japonês tem subsidiado custos como o transporte público”.

De acordo com a pesquisa os custos de produtos essenciais como alimentos e água permaneceram “resistentes”, por outro lado, a baixa demanda fez com que os preços das roupas caíssem drasticamente.

Dutt declara que essas tendências podem continuar em 2021, já que os gastos continuam restritos por causa da pandemia Covid-19.

Créditos: cnbc.com, eiu.com e timeout.com.

#diaadia


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.