Osaka e Sapporo serão as primeiras cidades excluídas da campanha “Go To Travel”

O Japão está se preparando para suspender seu programa de subsídios “Go To Travel” para áreas como as cidades populares de destino turístico, Sapporo e Osaka, devido ao alto número de novos casos de coronavírus.

A medida veio depois que o primeiro-ministro, Yoshihide Suga, disse no sábado que, iria interromper novas reservas para viagens a áreas onde as infecções estão se espalhando, mas não especificou onde e o prazo para isso.

A mudança de política veio depois que um painel de especialistas médicos do governo propôs revisar a campanha, e em um momento o país estava em um feriado de três dias, com muitas pessoas em todo o país aproveitando a temporada de outono em pontos turísticos.

Na segunda-feira, o governador de Hokkaido, Naomichi Suzuki, disse que deseja que Sapporo, a capital da ilha principal de Hokkaido, seja considerada para retirada temporária da campanha de subsídios para viagens. Ele também pediu ao governo central para compensar as empresas afetadas pela suspensão, bem como aqueles que cancelaram viagens pré-agendadas para áreas sujeitas à suspensão.

O governador de Osaka, Hirofumi Yoshimura, disse em um programa de televisão na segunda-feira que deseja que o governo central inclua a cidade de Osaka na suspensão a partir desta sexta-feira, acrescentando que será “mais eficaz” na prevenção da propagação do vírus, se a cidade for submetida a tal suspensão.

Japan to keep “Go To Travel” campaign running despite virus surge
Crédito: apecthai

O programa “Go To Travel”, lançado no final de julho, cobre efetivamente cerca de metade das despesas dos viajantes domésticos para apoiar a indústria do turismo, que foi duramente atingida pela pandemia.

Depois que a suspensão for decidida, o governo também planeja não aplicar o subsídio para viagens pré-reservadas e arcar com as taxas de cancelamento, disseram as fontes.

O Japão relatou mais de 2.000 novos casos do coronavírus pelo quinto dia consecutivo no domingo.

Na segunda-feira, a contagem nacional ultrapassou 1.500 novos casos. Enquanto isso, o número de pessoas que ficaram gravemente doentes após contrair o vírus atingiu 331, um recorde, segundo o ministério da saúde.

Até agora, cerca de 40 milhões de viagens foram feitas por meio do programa “Go To Travel”, com 176 pessoas acessando os subsídios, que foram infectadas com o vírus, segundo o governo central.

Toshio Nakagawa, chefe da Associação Médica do Japão, disse que não há evidências concretas de que o programa de viagens seja responsável pelo aumento recente de casos de coronavírus, mas “não há dúvida de que agiu como um catalisador”.

Especialistas médicos descreveram o ressurgimento como uma terceira onda de infecções, atribuindo-a à chegada de temperaturas mais baixas que forçaram as pessoas a passar mais tempo em ambientes fechados, muitas vezes em salas sem ventilação suficiente para impedir a propagação do vírus.

#coronavírus


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.