Passageiros que chegarem dos Estados Unidos deverão ficar de quarentena, determina Abe

O Japão fará com que passageiros que cheguem dos Estados Unidos fiquem de quarentena por 14 dias como medida para conter a disseminação do coronavírus, disse o primeiro-ministro Shinzo Abe nessa segunda-feira.

Durante as duas semanas de quarentena, os viajantes deverão se isolar em suas casas ou hotéis e não deverão usar transportes públicos. A medida entrará em vigor a partir de quinta-feira (26) e tem previsão de acabar no final de abril. O Japão teve medidas similares impostas à viajantes da China, Coreia do Sul, Irã, Egito e boa parte de países europeus.

O primeiro-ministro ainda advertiu a população a somente viajar para os Estados Unidos por motivos indispensáveis, aumentando seu nível de alerta em 1 ponto, já que o vírus tem se espalhado rapidamente no país norte-americano. Na quinta-feira (19), o Departamento de Estado dos EUA aconselhou os americanos a evitarem todas as viagens internacionais, elevando seu aviso de saúde global ao nível mais alto: 4.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA também emitiu um alerta para o COVID-19 no Japão, categorizando-o em seu nível mais alto, citando uma “transmissão contínua e generalizada”. Também foi recomendado que viagens não essenciais devem ser evitadas. Até agora, o Japão escapou de um aumento nas infecções domésticas, mas o número de casos superou 1.800, incluindo cerca de 700 do cruzeiro Diamond Princess.

Com mais de 100 casos registrados em Tóquio, a governadora Yuriko Koike disse que a capital japonesa está em uma “fase crítica”. O governo continuará pedindo aos organizadores que se abstenham de realizar grandes eventos até 12 de abril, afirmou o governador.  “Estamos tentando evitar um aumento explosivo nos casos que desencadeariam um confinamento total. O pedido pode causar inconvenientes, mas gostaríamos de pedir cooperação“, disse Koike em entrevista coletiva.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.