via: Peruvian who posed as Kyoto Univ.-educated doctor accused of performing illegal surgery - The Mainichi

Japão

Peruano que fingia ser médico da Universidade de Kyoto é preso

2021.02.15

Nesta segunda-feira (15), Hiroshi Gabriel Sakoda Vega, 26, peruano, recebeu um novo mandado de prisão por suspeita de violação da Lei de Práticas Médicas, pela realização de operações para remover tumores e outros atos médicos sem licença médica, no início do ano ele já havia sido preso pelo registro da sua falsa residência na Prefeitura.

Sakoda é especificamente acusado de remover tumores benignos sem licença médica em diferentes regiões em um conhecido, ele utilizou anestesia local e uma faca de cirurgia. As operações teriam acontecido na casa do homem no bairro de Shibuya em Tokyo entre agosto e início de setembro de 2020.

O acusado também supostamente administrou soro intravenoso em quatro homens e mulheres em locais que incluem um hotel no distrito de Taito na área metropolitana de Tokyo.

De acordo com fontes próximas à investigação, Sakoda ofereceu cirurgia e outros procedimentos médicos para pessoas que conhecia em restaurantes e outros lugares. Também foi descoberto que ele estava postando mensagens para promover as operações em bate-papos públicos no aplicativo de mensagens Telegram.

Houve muitos casos em que ele administrou soro intravenoso de graça, mas ele é suspeito de receber 35.000 ienes (cerca de US $ 330) quando solicitado por usuários de estimulantes que procuravam garantir que as substâncias não sejam detectadas em sua urina.

Sakoda teria dito aos investigadores da polícia: “Eu conduzi procedimentos médicos em pelo menos 10 japoneses e recebi dezenas de milhares de ienes de cada um como remuneração”.

Sakoda veio para o Japão com sua família há cerca de 20 anos atrás, e embora nunca tenha estudado na faculdade de medicina ou trabalhado em uma instituição médica, ele afirmava ser “um médico que se formou na Universidade de Kyoto”. 

Ele também comprava anestésicos e outros produtos médicos em uma drogaria perto do distrito de Asakusa. Nas ocasiões o peruano se vestia com um jaleco branco para se passar por médico. Até o momento, nenhum dano à saúde em decorrência de suas ações foi confirmado.

No início deste ano ele foi preso e indiciado pelo registro da sua falsa residência na Prefeitura de Taito. Sakoda teria utilizado documentos falsos, entre eles uma carteirinha de estudante da Universidade de Kyoto e um certificado de residência, assinado com um pseudônimo, Hiroaki Tanabata.

Uma busca em sua casa na época revelou dezenas de livros médicos e em seu computador foram encontrados dados forjados de identificações de instituições como o Ministério da Defesa japonês e do FBI.

#crime

Leia também: