Por que os japoneses limpam os estádios após as partidas de futebol?

Sempre que a seleção do Japão se classifica para a Copa do Mundo, uma cena se repete nas arquibancadas: após os jogos, torcedores japoneses recolhem lixos nos estádios e arrancam aplausos do mundo inteiro.

Mas você já se perguntou de onde vem essa cultura da limpeza? Vem que a gente te explica!

Assim como aconteceu na Copa do Brasil, em 2014, na Copa da Rússia, em 2018, e agora na Copa do Qatar, os torcedores japoneses ganharam atenção mundial ao fazerem a limpeza.

Antes mesmo da sua estreia na Copa deste ano, alguns torcedores japoneses ajudaram a limpar o estádio depois da vitória do Equador contra o Qatar. Os japoneses foram flagrados carregando sacos de lixo, recolhendo garrafas, copos e outros objetos descartados no chão das arquibancadas do estádio.

Ontem, após a estreia do Japão e a virada histórica contra a Alemanha, enquanto todos corriam para a saída do estádio para evitar o trânsito, os japoneses novamente esperaram o estádio esvaziar e limparam as bancas carregando seus próprios sacos de lixo por mais de 1 hora.

Hábitos que explicam a cultura da limpeza no Japão

O que talvez muita gente não sabe, é que o ato não trata de limpar os estádios de futebol para fazer bonito para a câmera, mas de uma filosofia passada de geração para geração.

Em um país onde é raro encontrar lixeiras espalhadas pelas ruas, e não existem garis nas ruas, cada um fazer a sua limpeza é essencial. Confira três hábitos japoneses ligados à limpeza:

1- Souji no Jikan: dedicar um tempo para a limpeza

No Japão, as crianças são ensinadas desde cedo a limparem a própria escola, limpar os banheiros, varrer o chão e lavar a louça. A ideia é que as crianças aprendam a zelar pela limpeza dos espaços públicos.

Em japonês “sōji” (掃除), que quer dizer limpeza, é levado a sério e faz parte da rotina dos mais diversos lugares, de escolas a templos, passando por ginásios esportivos e até mesmo nas empresas.

Os japoneses veem o sōji como fundamental não só para conservar o ambiente limpo e organizado para si mesmos, mas também para as próximas pessoas que irão usá-lo.

Nas escolas, o “sōji no Jikan”, literalmente hora da limpeza, é uma responsabilidade de cada turma. Cada uma delas é responsável pela limpeza da sua própria sala de aula, e às vezes também devem limpar outras áreas do colégio. Os professores determinam quem vai realizar cada tarefa, dessa forma, não é sempre os mesmos alunos que fazem a limpeza.

Todos os dias os alunos japoneses fazem o sōji de 15 a 20 minutos. Todos os alunos são obrigados a fazer o sōji, durante o ensino fundamental, por quase 12 anos, por isso, a limpeza vira um hábito e não mais uma obrigação.

2- Regra dos 5S

A regra dos 5S é uma filosofia de origem japonesa e consiste em cinco etapas de organização: Seiri (senso de utilização), Seiton (senso de arrumação), Seiso (senso de limpeza), Seiketsu (senso de saúde e higiene) e Shitsuke (senso se autodisciplina).

O método 5S tem sido implementado de forma eficaz e participativa nas empresas, trazendo benefícios para diversos setores das organizações. Essa filosofia é aplicada não só no trabalho, como também é levada para a vida.

3- Tirar os sapatos antes de entrar nas casas

Os japoneses costumam tirar os sapatos antes de entrar em suas casas e deixar na genkan, na entrada das casas. O ato de tirar os sapatos auxilia muito na limpeza, pois os sapatos trazem sujeira da rua.

Além disso, o ato de tirar os sapatos também está ligado à superstição. O japoneses acreditam que além de manter a higiene do ambiente, tirar os sapatos também mantém a higiene espiritual. Tirar os sapatos libertam de todas as “energias impuras” trazidas de fora e não deixam que essas energias invadam a harmonia do lar.

Como surgiu a cultura da limpeza no Japão?

O hábito da limpeza é algo muito enraizado na cultura japonesa, que é difícil dizer quando surgiu. Muitos imaginam que os japonese herdaram o hábito da cultura budista, visto que, o ato da limpeza é um costume budista centenário.

No budismo, a limpeza é vista como uma oportunidade para se purificar a mente. Para eles, durante a limpeza podemos perceber a nossa atuação no meio em que vivemos, pois conseguimos modificar tanto positivamente quanto negativamente o ambiente ao nosso redor.

A religião tradicional japonesa, o shintō, também está ligado ao hábito da limpeza. Os xintoístas veem não só a pureza espiritual, mas também a pureza física como uma qualidade muito valiosa, e por isso rituais de limpeza são realizados entre os xintoístas.

Ao longo dos séculos, esses rituais podem ter se transformado gradualmente na base do pensamento japonês quanto à importância de estar limpo e de manter o ambiente de convívio limpo.

E aí, vocês imaginavam que tinham tanta história por trás da “mania de limpeza” dos japoneses?

Imagem de destaque: Reuters

Leia também:

#diaadia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *