Saiba qual é o plano do Japão para lidar com a explosão da variante Ômicron

O Japão aumentará os esforços para lidar com os novos casos de coronavírus e fornecerá tratamento oral com os medicamentos da Pfizer, disse o primeiro-ministro Fumio Kishida.

Em dezembro, o Japão confirmou seu primeiro caso de infecção comunitária pela variante Ômicron. Até o momento, 993 casos da variante foram confirmados no país. Desses, 295 casos são considerados transmissões comunitárias.

O primeiro-ministro também disse que decidirá na semana que vem se estenderá os controles de fronteira, que evitou um aumento no número de infecções.

“Vamos nos preparar para mudar o foco da resposta da Ômicron às medidas domésticas para evitar o pior cenário de um possível aumento nas transmissões comunitárias”-disse Kishida.

Além das pílulas antivirais desenvolvidas pela Merck & Co, o governo pretende lançar os medicamentos de tratamento oral da Pfizer em todo o país no próximo mês. O Japão permitirá que mais pacientes recebam tratamento em casa, visando que não falte leitos hospitalares.

“Se um aumento nas infecções levar à falta de leitos hospitalares, devemos considerar de maneira flexível a redução da atividade”, disse Kishida.

O primeiro-ministro também disse que não irá para o exterior antes do início da próxima sessão do parlamento, em 17 de janeiro, para se concentrar nas medidas anti-pandêmicas.

Mais de mil casos confirmados no Japão

Saiba qual é o plano do Japão para lidar com a explosão da variante Ômicron Notícias
Kazuhiro NOGI / AFP

Na terça-feira (4), as infecções diárias de coronavírus ultrapassaram a marca dos 1.000 pela primeira vez desde outubro. Okinawa relatou 225 novas infecções, o maior número em mais de três meses. As pessoas na faixa dos 20 e 30 anos totalizaram 135 casos e 164 casos nas forças militares dos EUA em Okinawa.

O governador de Okinawa, Denny Tamaki, disse que a prefeitura mais ao sul “já está enfrentando a sexta onda de infecções por COVID-19”.

O secretário-chefe de gabinete, Hirokazu Matsuno, informou que o governador de Okinawa pode solicitar que o governo central emita um quase estado de emergência para a região.

A prefeitura de Yamaguchi relatou 79 casos positivos na terça-feira, incluindo 62 em Iwakuni, sede da base militar dos EUA em Iwakuni. Em Tóquio, 151 pessoas testaram positivo, um aumento de 105 em relação à semana anterior. 

As prefeituras de Osaka e Hiroshima também viram um aumento nos casos de coronavírus, 124 e 109 casos, respectivamente. Osaka confirmou 100 casos pela primeira vez em 2 meses e meio, e Hiroshima pela primeira vez em três meses.

O número diário de casos encontrados na quarentena de aeroporto no Japão atingiu um recorde de 117. Segundo o ministério da saúde, o número total de infecções pela nova variante do coronavírus no Japão já ultrapassou 1.000 casos.

Okinawa confirmou 47 novos casos com a variante Ômicron. Hokkaido, no extremo norte e Nagasaki, no sudoeste confirmaram os primeiros casos de Ômicron. As primeiras transmissões comunitárias da variante foram identificadas nas prefeituras de Gunma e Nara.

Fonte: Nippon

Saiba qual é o plano do Japão para lidar com a explosão da variante Ômicron Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *