Tecnologia: Robôs recebem pacientes com sintomas leves de coronavírus em recepção de hotel

Segundo o Ministério da Saúde, o governo japonês reservou cerca de dez mil quartos de hotéis para abrigar os pacientes que testam positivo para o coronavírus porém, apresentam sintomas muito leves para serem hospitalizados.

A medida faz parte dos esforços do governo para aliviar a sobrecarga do sistema de saúde, destinando os leitos hospitalares para pacientes com casos mais graves da doença.

Muitos hotéis de Tóquio já estão acomodando pacientes com sintomas leves da COVID-19 e alguns deles, oferecem robôs para recebê-los logo na recepção. É o caso do hotel Ryogoku, onde um robô chamado Pepper utilizando uma máscara protetora, recebe os visitantes dizendo mensagens do tipo:

“Por favor, use máscaras” ;

 “Espero que você se recupere o mais rápido possível” ;

 “Estou torcendo por você! Por favor descanse bastante enquanto estiver aqui e se recupere!”

 

Um robô de limpeza movido por inteligência artificial, também “trabalha” no hotel fazendo limpezas em áreas mais arriscadas e onde o acesso da equipe ainda é limitado.

O hotel Ryogoku iniciou os serviços de checking na última sexta-feira (1) e tem a capacidade de abrigar cerca de 300 pacientes. Um médico ficará disponível na parte da manhã e duas enfermeiras também estarão disponíveis 24 horas por dia para atender os pacientes em caso de emergência.

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, fez uma inspeção pessoalmente no hotel durante uma prévia de imprensa realizada na sexta-feira.

Os dois robôs foram fabricados pela empresa Soft Bank Robotics. O robô Pepper é capaz de ler as emoções sendo projetado com o objetivo de se conectar com as pessoas, ajudar e compartilhar seus conhecimentos. Para saber um pouco mais sobre ele clique aqui.

O Whiz é um robô de limpeza que utiliza de inteligência artificial avançada e é ideal para limpar áreas que são muito arriscadas para os seres humanos. Se quiser obter mais informações sobre ele clique aqui.

O primeiro-ministro Shinzo Abe disse em um relatório do governo, que o sistema médico do Japão ainda enfrenta forte pressão, apesar do número de infecções no país não ser tão explosivo em comparação à outros países.

Ele acrescentou ainda que os governos locais deverão preparar melhor seus leitos hospitalares nas próximas semanas, a fim de evitarem a sobrecarga do sistema de saúde, caso o número de infecções continue aumentando no país.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.