via:

Japão

Trabalhadores estrangeiros são os mais afetados pelas perdas de emprego durante a crise do coronavírus

2020.05.06

A economia do Japão vem sendo fortemente atingida pela crise do coronavírus levando muitas empresas a forçarem demissões ou reduzirem as jornadas de trabalho de seus funcionários, a fim de evitarem uma possível falência.

Os trabalhadores estrangeiros são de longe os mais vulneráveis em um momento de crise como este. Segundo alguns grupos sindicais, advogados trabalhistas e organizações sem fins lucrativos, os estrangeiros acabam sendo os primeiros a receberem “cortes” da empresa nas situações que exigem demissões em massa.

No dia 16 de março, o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão emitiu uma nota oficial em vários idiomas, incluindo o português. A nota dizia que em caso de demissões motivadas pelo coronavírus, os trabalhadores estrangeiros não seriam tratados com desvantagens em relação aos trabalhadores japoneses; ambos teriam direito aos mesmos benefícios.

No entanto, uma organização trabalhista sediada na província de Mie, recebeu 400 consultas de trabalhadores que foram afetados pela crise do coronavírus no período referente ao mês de março e abril de 2020. Cerca de 330 dessas consultas eram de trabalhadores estrangeiros.

O organizador da Union Mie, Akai Jimbu, disse:

“Trabalhadores estrangeiros com contratos de curto prazo são demitidos primeiro”

“ É quase como se eles fossem contratados para serem demitidos quando as coisas ficarem difíceis” 

O Japão vem se tornando cada vez mais dependente da mão de obra estrangeira para ajudar a suprir a falta de mão de obra nacional, visto que um terço da população é formada por idosos e a taxa de natalidade é muito baixa no país.

Em outubro de 2019 mais de 1,6 milhões de trabalhadores estrangeiros apoiaram a economia japonesa, representando um aumento significativo quatro vezes maior em comparação ao ano de 2008.

Apesar da atual realidade de demissões de estrangeiros, o governo japonês investiu recentemente cerca de 370 milhões de ienes para aprimorar os serviços de suporte multilíngue nos escritórios de desemprego online.

A barreira linguística não deveria mais ser um problema, visto que existem muitos sites voltados para a comunidade brasileira e outras nacionalidades, que ajudam a levar informações e oferecem suporte aos estrangeiros.

O brasileiro Rennan Yamashita de 31 anos, que mora no Japão a oito anos, foi um dos trabalhadores afetados pela crise do coronavírus. Ele disse ao jornal que já perdeu as contas de quantas vezes foi demitido.

“Se eles precisam de você, eles o contratam; se eles não precisam de você eles vão demiti-lo. É simples assim.” disse Yamashita após ser demitido de uma fábrica de autopeças.

Apesar de todo o “suporte” oferecido pelo governo japonês, a realidade do desemprego em razão da crise do coronavírus, vem preocupando e assustando muitos trabalhadores estrangeiros, principalmente os terceirizados que em caso de demissões precisam deixar os apartamentos da empresa.

(Fonte: Japan Today; link original: https://japantoday.com/category/business/foreign-workers-feel-the-pain-of-‘corona-job-cuts’-in-japan)

 


Trabalhadores estrangeiros são os mais afetados pelas perdas de emprego durante a crise do coronavírus Japão