Tratamento COVID-19: Japão pretende aprovar nesta semana o uso do medicamento Remdesivir

O Ministério da Saúde do Japão recebeu uma solicitação para autorizar o uso do medicamento antiviral Remdesivir no tratamento de pacientes com COVID-19.

A solicitação foi feita pela empresa biofarmacêutica Gilead Sciences sediada na Califórnia (EUA) e deverá ser aprovada ainda esta semana pelas autoridades de saúde japonesas.

O Ministro da Saúde, Katsunobu Kato, ordenou que as autoridades do governo possam dar um sinal verde para a empresa norte-americana até cerca de uma semana após o pedido. Caso a solicitação seja aceita, o remdesivir será o primeiro medicamento terapêutico a tratar pacientes com coronavírus no Japão.

O remdesivir foi desenvolvido pela empresa norte-americana Gilead Sciences Inc. com o intuito de ser utilizado em um possível tratamento contra o Ebola, porém não foi licenciado ou liberado em nenhum país do mundo. Ainda existem receios de que o medicamento possa causar efeitos colaterais e comprometer as funções hepáticas e renais dos pacientes.

No entanto, o uso do medicamento foi aprovado emergencialmente na sexta-feira (1) pela Administração de Medicamentos e Alimentos dos EUA (USFDA) para ser aplicado no tratamento de pessoas com sintomas mais graves de COVID-19.

O remdesivir será distribuído nos EUA e poderá ser manuseado por profissionais de saúde. Ele será injetado na circulação dos pacientes que apresentam baixos níveis de oxigênio no sangue ou que necessitam de suportes respiratórios mais intensivos.

“Embora haja informações limitadas conhecidas sobre a segurança e a eficácia do uso do remdesivir no tratamento de pessoas no hospital com COVID-19, o medicamento experimental foi demonstrado em um ensaio clínico para reduzir o tempo de recuperação em alguns pacientes.”

O antiviral vem se mostrando bastante promissor e está acendendo esperanças ao redor do mundo. Ensaios clínicos evidenciaram que o uso do medicamento, diminui o tempo de internação dos pacientes em estados mais graves pois, ele age reduzindo a capacidade de replicação do vírus no organismo.

O governo japonês revisou uma ordem do Gabinete para a agilizar o processo de autorização de medicamentos para o COVID-19, sob a condição de que eles fossem aprovados em países como EUA, Grã-Bretanha, Canadá, Alemanha ou França.

O primeiro-ministro Shinzo Abe disse nesta segunda-feira (4) que o governo também pretende aprovar o uso do medicamento Avigan no final de maio. Segundo estudos científicos realizados por instituições da China, o Avigan, que foi desenvolvido pela empresa Fujifilm Holdings, mostrou-se eficaz no tratamento de pacientes com coronavírus.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.