Três chineses presos por fraude de pagamento eletrônico da Docomo

Uma força-tarefa investigativa composta pela polícia da província de Saitama e mais outras organizações investigativas prenderam três chineses no dia 19 de janeiro sob suspeita de fraude de dinheiro por meio de serviço de pagamento eletrônico da NTT Docomo.

Os três tem cerca de 20 anos e admitiram as acusações. De acordo com os acusados, eles foram convidados a cometerem os crimes a pedido de outros.

Para utilizar o serviço e-pay chamado “Docomo account”, os usuários devem vinculá-lo à sua conta bancária e depositar dinheiro da conta bancária na conta Docomo.

Em seguida, os usuários podem fazer pagamentos eletrônicos de smartphones, chamados de “d-barai”, nas lojas e compras online.

A polícia disse que os três entraram no aplicativo d-barai com as informações da conta de outra pessoa, usando seus próprios smartphones, durante o período de agosto a setembro de 2020.

Eles usaram o serviço para comprar 66 caixas de produtos de tabaco, no valor de aproximadamente 343.200 ienes, em três lojas de conveniência na província de Saitama. Os chineses também compraram dois tablets em uma loja de eletrônicos na cidade de Tóquio, pelo valor de 98.500 ienes.

A polícia disse que a conta Docomo usada para essas compras foi aberta ilegalmente pela internet por uma pessoa não identificada e estava conectada a contas abertas em bancos regionais das províncias de Miyagi, Mie e Okayama.

O endereço IP da conta Docomo foi falsificado para dificultar a determinação da localização de acesso.

A polícia acredita que os três cometeram mais fraudes semelhantes, gastando cerca de 6,7 milhões de ienes em cerca de 40 estabelecimentos. Além de suspeitarem que há um líder por trás dos criminosos.

#crime

Leia também:


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.