Grupos de pesquisa da Universidade de Nagoya anunciaram que foram capazes de produzir proteínas artificiais semelhantes aos anticorpos que são produzidos pelo corpo de uma pessoa infectada pelo coronavírus.

O grupo de pesquisa do Centro Médico de Nagoya e o professor de bioquímica da Universidade de Nagoya, Hiroshi Murakami, conseguiram produzir os anticorpos em apenas 4 dias através de um novo método chamado “TRAP Display” que seleciona rapidamente os candidatos entre mais de 10 trilhões de anticorpos artificiais que se ligam a um vírus específico.

Universidade de Nagoya desenvolve anticorpos artificiais contra o coronavírus Japão  (Crédito: Science Advances)

Os anticorpos que foram produzidos artificialmente têm a característica de se ligar fortemente apenas ao novo coronavírus, não ao SARS que se tornou um grande problema para o mundo em 2003.

De acordo com o estudo, os anticorpos artificiais conseguem suprimir a infecção nas células e é possível desenvolver um kit de teste de antígeno para verificar se as amostras coletadas dos pacientes contêm a proteína do coronavírus ou não.

Ainda segundo o grupo de pesquisa, o anticorpo tem potencial para ser aplicado em testes de infecção e no desenvolvimento de novos agentes terapêuticos. O estudo foi publicado na versão digital da revista Science Advances. Para lê-lo (em inglês) clique aqui.

#coronavirus


Universidade de Nagoya desenvolve anticorpos artificiais contra o coronavírus Japão