Yuriko Koike é reeleita como governadora de Tóquio

A governadora Yuriko Koike conquistou seu segundo mandato nas eleições de domingo (5) para governar a metrópole de Tóquio pelos próximos quatro anos.

. Adversários

A governadora Yuriko Koike, que era independente, venceu 21 adversários, incluindo Kenji Utsunomiya (73), ex-chefe da Federação das Associações de Advogados do Japão, Taro Yamamoto (45), ex-ator e líder do partido Reiwa Shinsengumi e Taisuke Ono (46), ex-vice-governador da província de Kumamoto.

De acordo com dados do Kyodo News, Yuriko Koike obteve votos de mais de 80% dos apoiadores do Partido Liberal Democrático e do partido Komeito, votos de 56,9% dos eleitores não afiliados e votos de 31,6% dos eleitores alinhados com o principal Partido Democrático Constitucional do Japão.

No total, Koike recebeu cerca de 3,66 milhões de votos, o segundo maior número depois dos 4,33 milhões de votos conquistados por Naoki Inose na corrida eleitoral de 2012.

. Promessas para o 2º mandato 

Koike promete responder firmemente a uma segunda onda de infecções do novo coronavírus e coordenar com o Comitê Olímpico Internacional, os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Tóquio, que foram adiados para 2021.

“Estou muito feliz e, ao mesmo tempo, sinto o peso da responsabilidade”- disse Koike em uma declaração na televisão.

Entretanto, a governadora disse que não podia se sentir completamente feliz, pois Tóquio está no auge da pandemia  do coronavírus, chegando a 100 infecções diárias pelo quarto dia consecutivo.

. Possibilidade de ser tornar a primeira-ministra do Japão?

A governadora Yuriko Koike de 67 anos, se tornou a primeira mulher a governar a capital japonesa no ano de 2016, e já atuou como ministra da Defesa e ministra do Meio Ambiente.

Apesar das críticas por não ter implementado a maioria de suas promessas em seu primeiro mandato, a popularidade de Yuriko Koike aumentou em comparação com a do primeiro-ministro Shinzo Abe, pois suas medidas para conter a disseminação do coronavírus e seus pedidos de cautela direcionados à população, parecem ter atenuado o número de novos casos por um período.

(Crédito: Kyodo News)

Alguns observadores e especialistas como Naoto Nonaka, professora de política da Universidade Gakushin se manifestaram dizendo: “Koike é mais ambiciosa, ela gostaria de se tornar primeira-ministra. O Japão ainda não teve uma primeira-ministra”.

No entanto, a própria governadora de Tóquio disse “Não está em minha mente (…). Dirigir o governo metropolitano é dinâmico e gratificante. Foi por isso que pulei de um penhasco, passando da política nacional para a política local”.

#diaadia


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.