AS COMIDAS MAIS BIZARRAS DO JAPÃO!

2019.09.18

Todo mundo sabe que o Japão é conhecido por ter uma culinária um pouco exótica, que vai além dos famosos ramen, arroz e sashimis. Algumas comidas são típicas e tradicionais da cultura japonesa (como por exemplo carne de baleia) e mesmo que seu consumo tenha diminuído com o passar dos anos, ainda é possível encontrá-las em lugares espalhados pelo país.

Se você tem um estômago forte e um pouco de coragem talvez consiga experimentar esses pratos exóticos, mas enquanto sua hora não chega confira um pouco mais sobre as bizarrices que temos por aqui!


Inago no Tsukudani

O primeiro item da lista é um prato feito de gafanhotos na base Tsukudani (molho de soja com açúcar) que geralmente é usada com peixes e frutos do mar. Hoje em dia não é tão comum quanto era antigamente, mas ainda pode ser encontrado nas regiões de Yamagata, Nagano e Gunma. Repare que todas são regiões montanhosas e por isso seu consumo ainda permanece: por lá é mais difícil de se conseguir frutos do mar do que gafanhotos!

AS COMIDAS MAIS BIZARRAS DO JAPÃO!

Além disso, é possível encontrar porções à venda do gafanhoto em mercados e lojinhas (um pouco difícil), e você pode prepará-lo em casa do jeito que você quiser.

AS COMIDAS MAIS BIZARRAS DO JAPÃO!

Benefícios para a saúde: há uma grande quantidade de proteína, de 15 a 30 gramas em uma porção de 900g do mesmo; de acordo com o site https://time.com/ os gafanhotos têm a mesma quantidade de proteínas que um frango de tamanho equivalente, além de conter um pouco mais de gordura insaturada, que acabará reduzindo as chances de alguma doença no coração.


Namako

Pepino do mar servido de diversos tipos na culinária japonesa. Para quem não sabe, isso é um pepino do mar:

AS COMIDAS MAIS BIZARRAS DO JAPÃO!

Primeiro limpa-se o interior do animal, depois são lavados, fervidos em água quente e secos no vapor. Após o processo de cozimento, ficam em água gelada por aproximadamente 12 horas. Dependendo da sua preferência, eles podem ser servidos como sashimi ou cortados para serem colocados em sopas ou serem servidos fritos; ainda, há quem goste de comer eles inteiros e preenche-os com carne de porco! Os acompanhamentos para esse prato inusitado geralmente são shimeji ou repolho chinês.

AS COMIDAS MAIS BIZARRAS DO JAPÃO!

AS COMIDAS MAIS BIZARRAS DO JAPÃO!  Também é possível de comprar em alguns mercados ou lojinhas.

Benefícios para a saúde: são tonificantes, e ajudam bastante em dietas para emagrecer. Contém baixo índice de calorias e gorduras e são compostos por 40% a 60% de proteínas. Além disso, eles podem reduzir o nível de açúcar do seu sangue, bom para quem tem diabetes.


Shiokara

São frutos do mar servidos em suas próprias vísceras fermentadas! O mais comum é usarem pequenas lulas para a preparação do prato, onde a carne crua é cortada em pequenos pedaços e depois misturada em uma pasta feita da víscera fermentada da própria lula. Também usa-se salmão, atum e caranguejos.

AS COMIDAS MAIS BIZARRAS DO JAPÃO!

Benefícios para a saúde: ajudam na circulação do sangue no corpo além de reduzirem o risco de contaminação por comida estragada. Foi muito comum no século XI por ser rico em proteínas, gorduras e vitamina D.


Shirako

É o saco de esperma de um peixe. Sim, bizarro, mas se pararmos para pensar pode ser considerado como um “caviar” do macho. Pode ser servido como tempurá, sushi, cru, frito e cozido no vapor. Sua textura é um pouco viscosa e sua consistência é cremosa, de acordo com os corajosos que experimentaram.

AS COMIDAS MAIS BIZARRAS DO JAPÃO!

Benefícios para a saúde: é bom para a pele e tem propriedades antienvelhecimento, além de terem um alto índice de proteína, vitaminas B12 e D.


Ikizukuri

Sua tradução é “preparado vivo” e é literalmente o que representa: o animal é cortado em sashimi ainda vivo e é servido assim, se mexendo. Geralmente são peixes mas é comum ser feito com lulas e polvos, e o mais raro de se ver porém existente são com sapos. Essa forma de preparar o sashimi veio da ideia de manter o peixe mais fresco possível.

Geralmente os animais ficam em tanques no restaurante e o cliente pode escolher qual irá comer. Na preparação do prato, o peixe não é morto: para reduzir o sofrimento do animal, bate-se a faca de corte na parte de trás da cabeça, que o deixa inconsciente. Em alguns lugares, os olhos dos peixes são cobertos para reduzirem o stress do animal. Assim, é servido acompanhado de gengibre e limão, com a boca ainda ofegante e o coração ainda batendo.

Por mais que faça parte da culinária japonesa, esse tipo de prato é muito criticado pelos próprios japoneses por ser uma crueldade com os animais, o que faz com que não seja muito comum de encontrar em restaurantes pelas cidades e que a tendência é esse tipo de prática acabar.

Para quem tem coragem e ou curiosidade, veja um vídeo que fala a respeito desse prato: