Japão: mitos que os brasileiros falam e acreditam

2019.09.04

Quando se está no Brasil, tudo o que ouvimos falar do Japão parece ser real (por mais louco que seja), afinal, não é todo mundo que tem a oportunidade de cruzar o planeta para desmistificar tantas informações! Assim, é simplesmente mais fácil acreditar em tudo o que ouvimos sobre esse país tão distante e tão diferente do nosso.

Acontece que quando se chega aqui você começa a reparar as diferenças absurdas entre o que você ouviu (do seu amigo que ouviu de um parente que veio pro Japão em 1980) e o que você está vendo e aprendendo!

Eu mesma caí em vários mitos e nunca me dei ao trabalho de ver se o que eu estava falando fazia ao menos sentido, até que cheguei aqui. Hoje fazem oito meses que estou no Japão e aprendi muitas coisas novas e totalmente diferentes do que eu imaginava quando estava no Brasil!

Quando eu morava em São Paulo, sempre visitava o bairro da Liberdade (conhecido justamente por ser um bairro japonês com diversas comidinhas e lojinhas). Em uma dessas inúmeras visitas acabei conversando com uma das vendedoras de uma loja, e como num bate-papo normal acabei comentando que me mudaria para o Japão. Não deu um minuto e ela já falou: “Nossa, lá é muito prático de morar, tudo é tão pertinho que nem dá trabalho de ter que pegar esse metrô igual ao daqui (o metrô de São Paulo tem seus defeitos)”.

☼ Esse é o mito número 1 da nossa lista!  “Tudo no Japão é muito pequenininho e muito perto!”. ☼

O Japão é um país que já é pequeno, seu território é estreito e ainda conta com muitas montanhas, o que diminui mais ainda a área que se tem construções. Mas, mesmo assim, tudo no Japão ainda é longe; tem muitas ruas que realmente são bem apertadinhas (passa um carro de cada vez sendo uma rua de mão dupla), e por isso aqui tem muitos modelos de carros que são menores e mais compactos (além de mais econômicos).

Uma vez vi uma reportagem na tv sobre os carros não terem garagem para estacionar, e algumas pessoas estacionavam em lugares absurdos como dentro da própria casa (quando térreas)! Isso pra mim ficou tão marcado que ouvir a moça falando da proximidade das coisas no Japão me pareceu perfeitamente normal.

O Japão conta com um sistema de trens INCRÍVEL, que abrange basicamente o Japão todo (e não é brincadeira), com todas as linhas se conectando, ou seja, você realmente pode ir pra qualquer lugar mas acontece que ainda sim pode demorar umas horinhas. Para ir trabalhar, ainda mais em fábricas, você geralmente tem que pegar trem e mesmo que não demore muitas estações para chegar ao seu destino, você já repara que nem tudo é tão pertinho assim. Aqui, há muitas plantações de arroz, no meio da cidade mesmo. E com muitas eu digo inúmeras; é normal você estar andando de bicicleta e passar por algumas no seu trajeto.

Quando se mora no centro da cidade as lojas ficam mais perto, assim como provavelmente as estações de trem e de ônibus. Isso facilita na hora de ir no mercado ou em outros lugares caso você não tenha carro. O problema é que morar no centrinho da sua cidade é ou muito mais caro ou simplesmente não tem lugar pra morar. Isso faz com que todos morem um pouco mais afastados da estação principal de trem, e nessas horas, se você não tiver um carro as coisas podem ficar um pouco mais difíceis de se fazer, refutando a ideia de que “é tudo pertinho”.

Japão: mitos que os brasileiros falam e acreditam

Essa é uma foto que eu tirei passeando de carro em Shiga-ken, e acredite, o contraste entre cidade x plantações é muito visível!

☼Mito número 2: “Você vai ficar rica!”.☼

Acho que essa foi a coisa que mais ouvi durante o tempo que me preparava para vir e também a coisa que mais me deixou feliz! Spoiler para o pessoal que está vindo ou querendo vir: é mentira!

Bem, antes de explicar o porquê é mentira, vamos entender como funciona o trabalho e o pagamento aqui. No primeiro mês que comecei a trabalhar, quebrei a cara várias vezes porque não sabia de nada disso! No Japão, a maioria dos lugares (se não todos) pagam o primeiro salário somente depois de dois meses! O sistema funciona assim: você trabalha Janeiro e vai receber referente a esses dias só no final de Fevereiro! O que você trabalhou em Fevereiro irá receber só no final de Março e assim vai.

Beleza, passou os dois meses e você recebeu seu primeiro salário! A maior alegria é nessa hora, que eu finalmente ia ter meus 10 mil reais (dito de brasileiros para brasileiros), aí você abre o seu holerite e seu mundo cai: você não recebe nem metade desse valor! Mas porquê?

No Japão, há vários descontos que são feitos direto na sua folha de pagamento. O pagamento é feito por horas trabalhadas, então se você se atrasa você tem um desconto. Se você falta, já são oito horas ou mais que você deixou de receber, diminuindo bastante o seu dinheiro total. Além disso, há descontos como o Seguro Saúde (obrigatório), dependendo da empresa há o aluguel do apartamento, contas, enfim… muitos descontos!!!! Assim, se você se esforçar (muito) e no final do mês receber o equivalente aos 10 mil reais que te foram prometidos, saiba que você terá em mãos na verdade um terço disso.

Economizar aqui também não é fácil, ainda mais para quem vem de primeira viagem. Tudo é maravilhoso e te passa a impressão de ser barato, e assim você acaba gastando mais do que deveria. No primeiro ano trabalhando aqui, é realmente complicado juntar dinheiro mas se você tem disciplina (o que não é meu caso) e tem em mente um foco, pode dar certo.

A verdade sobre o Japão é que manter um lifestyle é fácil, então vive-se muito bem e com o tempo dá pra unir isso ao fato de juntar dinheiro. E é na verdade essa ideia que atrai tantos estrangeiros para cá.

☼Para encerrar a listinha (que já está maior do que deveria) vamos para o mito número 3: você vai sofrer preconceito!☼

Acredito que foi o que mais me deixou com medo antes de vir para o Japão. Eu tenho várias tatuagens que mesmo com roupas mais compridas ficam à mostra, e todo mundo sabe que a cultura japonesa relaciona tatuagens com a máfia (Yakuza). É de se ouvir que quem tem tatuagem vai sofrer preconceito, que os japoneses iriam me xingar na rua, que eu não seria atendida em alguns restaurantes e muitas outras coisas nesse sentido. Além disso, eu também ouvia que por ser descendente de japonês (terceira geração) e não saber falar a língua nativa, eu seria ofendida.

Faz sentido ouvir essas coisas de alguém que visitou o Japão nos anos 70. Hoje, a realidade é totalmente diferente (ainda bem) e essa ideia totalmente errônea dos japoneses precisa ser urgentemente apagada. Os japoneses são extremamente educados, ainda mais se você for um cliente. Aqui, eles fazem de tudo para que você se sinta confortável e desfrute ao máximo o serviço que está usufruindo.

A população japonesa é formada por muitos idosos, então é normal você ser o mais jovem em algum lugar. Talvez, nessas situações, pode ter um ou outro velhinho que vá te encarar, mas raramente falarão algo. Também não posso negar que não há casos xenofóbicos aqui (preconceito com estrangeiros); em grupos de Facebook já vi relatos de brasileiros(as) que estavam trabalhando e foram ofendidos por simplesmente serem estrangeiros. Existe, mas não é frequente, e em casos como esse a polícia é chamada e geralmente dá o suporte necessário.

Todo mundo sabe que aprender japonês é realmente difícil, ainda mais se você já for mais velho. Até os próprios japoneses brincam com você quando perguntam se você está achando difícil de aprender porque eles mesmos sabem que para quem é de fora, é uma língua muito diferente! Então não se assuste se quiser vir pra cá e malemá souber como falar “bom dia”, ninguém vai te maltratar ou desmerecer por isso, e além, vão te ajudar, repetir a frase 5 vezes se necessário e até mesmo tentar falar inglês (mesmo que isso talvez piore a situação).


♥ Se você está querendo vir para trabalhar, ou até mesmo a passeio para conhecer o país, não se assuste com as coisas que pode acabar ouvindo aí no Brasil sobre como é viver aqui: existem muito mais coisas que são ditas e na verdade são mitos, não caberiam todas em uma matéria como essa sem que eu acabasse escrevendo um livro!

♥ O Japão é muito rico em belezas naturais além de ter uma cultura extraordinária, e espero que todo mundo tenha algum dia a oportunidade de vir e ver com os próprios olhos o quão diferente (em um bom sentido) é morar aqui. O cidadão japonês é muito educado e respeitoso, o lugar é muito limpo (esse mito é fato!) e sim, muito seguro também! Os mitos podem acabar distorcendo a imagem que nós brasileiros temos desse país, mas aos poucos vamos desmistificando-os e fazendo com que o Japão possa ser visto como o lugar que realmente é.


Sobre mim…

Mudei para o Japão em janeiro de 2019, vindo pela primeira vez e sem saber falar um pingo de japonês. Acabei caindo nessa aventura graças aos meus pais, que buscavam me dar uma vida com mais oportunidades e chances de amadurecimento.

Tenho 19 anos (20 em alguns dias), moro com um gato caolho de 12 anos de idade em Toyota-shi, Aichi-ken e cada dia que passa aprendo um pouco mais sobre a sociedade japonesa.

Japão: mitos que os brasileiros falam e acreditam

Japão: mitos que os brasileiros falam e acreditam