Tipos de visto para entrar e/ou morar no Japão

2020.04.02

Conhecer o Japão é o sonho de muitas pessoas ao redor do mundo, e há milhares de motivos para esse ser um destino tão almejado. Mas, como nem tudo é fácil como nos filmes de Hollywood, todos os brasileiros precisam obrigatoriamente de um visto para poder entrar no país. Se você tem dupla nacionalidade e tem um passaporte além do brasileiro, talvez você consiga vir para o Japão através do ESTA, um programa de isenção de visto que engloba diversos países e facilita a entrada de visitantes neles.

Aqui vamos explicar para você, compatriota, quais são os tipos de visto que você pode tirar para vir para o Japão. A primeira coisa é saber que basicamente o visto japonês é dividido em duas categorias: curta permanência e longa permanência. Dentro delas, há diversas subdivisões que variam de acordo com o seu objetivo no país.

 

VISTO DE CURTA PERMANÊNCIA

É válido para quem quer ficar no Japão por até três meses. Você não pode exercer nenhuma função remunerada, ou seja, você não pode trabalhar tendo esse visto. Não é necessário ser descendente de japonês. Dentro desse tipo de visto está o visto de turismo, de visita a amigo ou parentes, de negócios e de participação em eventos como congressos e torneios esportivos.

 

VISTO DE LONGA PERMANÊNCIA

É válido para quem vai ficar no Japão por mais de três meses. Geralmente é solicitado pelos descendentes de japoneses e seus cônjuges para poder vir e trabalhar aqui. Os trâmites para solicitar esses tipos de visto são mais complicados, então é sempre bom estar com os documentos em dia e se manter informado a respeito do processo com o Consulado ou Embaixada mais próximo de você.

 

VISTO ESPECÍFICO

É a categoria mais utilizada pelos brasileiros. Serve para todos os cônjuges, filhos e netos de japoneses; é também utilizado pelos cônjuges dos filhos e dos netos. Como muitos sabem, esse processo é bem chato e requer muita paciência dos solicitantes. O que dificulta um pouco é sempre a parte de provar a sua descendência e/ou relação com o descendente. Filhos de japonês são chamados de Nissei, e netos de japonês Sansei. Para os Nissei e Sansei tirar o visto é um processo complicado, mas para quem é bisneto, ou seja Yonsei, é quase impossível.

Já houve muita polêmica a respeito dos vistos de longa permanência para os Yonsei pois antes eles não podiam nem solicitar o visto. Hoje, depois de alguns conflitos, o Ministério da Justiça implementou um novo sistema de aceitação de visto de Yonsei. No PDF disponibilizado no site oficial, o Ministério explicou:

Até o momento, o Japão só permite, por via de regra, a imigração de sanseis, ou seja, de descendentes de japoneses (“nikkeis”) de terceira geração (que correspondem a netos de japoneses). No entanto, existia uma demanda das comunidades nikkeis no exterior para que se viabilizasse que os yonseis (descendentes de japoneses de quarta geração) – aos quais, por via de regra, não se permitia a imigração para o Japão – pudessem ingressar no Japão de maneira facilitada, tal como os sanseis. Além disso, também existem, dentre os yonseis, pessoas que sentem uma forte atração pelo Japão, o país natal de seus bisavós, e que têm o desejo de uma experiência de residência temporária o país. Diante dessa situação, decidiu-se pela criação do novo “Programa de Aumento de Recepção de Yonseis” (a seguir “programa”) para possibilitar que ainda mais yonseis possam visitar o Japão e aprender sobre a cultura do país.

Leia o PDF completo aqui.

Após conseguir seu visto e desembarcar no Japão, você receberá seu Cartão de Residente conhecido também como zairyu card. Você recebe ele ali no aeroporto mesmo, na parte da Imigração. É nessa hora que você descobre de quanto tempo é o seu visto: coração vai a mil, ansiedade bate na porta. São emitidos vistos de 1, 3 e 5 anos. Para quem é cônjuge do descendente, geralmente são emitidos vistos de 1 ano; para quem é nissei e sansei geralmente são vistos de 3 anos, mas não é regra e sempre pode mudar.

Depois que você entrou no Japão e já está quase acabando o tempo do seu visto, é hora de dar entrada na renovação dele. Para renovar, você pode contratar um despachante que fará os trâmites para você (menos dor de cabeça) ou você mesmo pode ir na Imigração dar entrada na papelada. Para solicitar o visto permanente (sonho), quem é Nissei precisa ter morado 1 ano direto no Japão; sansei precisa ter morado 5 anos direto (não podendo ter ficado fora do país por mais de 3 meses); quem é cônjuge dos descendentes precisa comprovar 3 anos de casado e 1 ano morando no Japão.

Mas, quando você está no Japão e tem um filho aqui, a história muda. Quando seu bebê nasce, você tem até 10 dias úteis para registrar ele na Prefeitura da sua cidade, e até 30 dias para ir na Imigração solicitar o visto dele. SEU FILHO NÃO ESTÁ DENTRO DO SEU VISTO, ELE PRECISA DE UM SÓ PARA ELE. Nessa hora é outro mistério: você não faz ideia de quanto tempo vai sair o visto do seu baby. O tempo de visto dele não terá relação com o seu, e como exemplo temos o Yuji e o Lipe. O Yuji e a Keyla tem visto permanente, mas na hora de solicitar o visto do Felipe só saiu o de 1 ano. Quando um dos pais do bebê é japonês, a criança automaticamente é japonesa, o que elimina a necessidade de visto – que foi o meu caso e da Lily.

O tempo do seu visto não influencia em nada no seu cotidiano, só é chato na hora de renovar porque os trâmites são cansativos. E, não é renovando de primeira que você consegue um visto melhor ou o permanente: tem gente que já renovou o visto vários anos seguidos porque só pegava o de 1 ano.

 

VISTO DE TRABALHO

É o visto para os profissionais qualificados exercerem atividade remunerada no Japão, seja por transferência na mesma empresa ou nova contratação. É necessário que a ocupação seja uma das seguintes: professor, artista, atividades religiosas, jornalista, investidor ou gerente de negócios, contador, jurídico, engenheiro, médico, pesquisador, cessionário, instrutor ou especialista em humanidades. Os tempos de visto são de 3 meses, 1 ano, 3 anos e 5 anos.

 

VISTO COMUM

É para quem pretende passar mais de três meses no Japão, e tem como objetivo estudar, participar de alguma atividade cultural ou até mesmo fazer um estágio. É o visto que o dependente do descendente precisam tirar caso ele vá exercer alguma função específica que consta no visto de trabalho.

Para quem pretende vir ao Japão para estudar, esse é o visto certo. Você não precisa ser descendente de japonês, e isso abre as portas para muitos que tem o desejo de conhecer aqui. O bom desse visto é que você não fica proibido de trabalhar, você pode ter um emprego de meio período e trabalhar até 28 horas semanais, e isso te ajuda a se manter financeiramente enquanto continua seus estudos. Para solicitar esse visto você precisa estudar em uma faculdade, escola técnica ou escola de idiomas por até dois anos (e depois caso necessite é só tentar renovar).

Uma dica importante é que se você for trabalhar por meio período você precisa preencher um formulário chamado “autorização para realizar tarefas além da finalidade do visto”. Você encontra essa autorização no aeroporto mesmo ou no Departamento de Imigração.


Tipos de visto para entrar e/ou morar no Japão